Você está aqui
Início > Cidade > UFV: PRÉDIO OCUPADO, FUNCIONÁRIOS EM GREVE E PROFESSORES INDICANDO GREVE

UFV: PRÉDIO OCUPADO, FUNCIONÁRIOS EM GREVE E PROFESSORES INDICANDO GREVE

Alunos, professores e os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal de Viçosa estão travando uma verdadeira luta contra a PEC 241 proposta pelo presidente Michel Temer (PMDB), que limita os gastos públicos pelos próximos 20 anos. A PEC já foi aprovada em uma primeira votação na Câmara dos Deputados e nesta terça-feira 25 ela volta para votação na casa.

Em resposta aos cortes de verbas para educação diversos alunos invadiram e ocuparam pacificamente o principal prédio administrativo da UFV, o “Bernardão”. A ocupação aconteceu na madrugada da última terça-feira  18, e não tem previsão para terminar.

Os servidores técnico administrativos da UFV decidiram em assembléia na última quinta-feira 20, que a partir da 00 hora desta segunda-feira 24 estão em greve por tempo determinado e diversos setores da instituição estão de portas fechadas.

Já os professores decidiram em assembléia na sexta-feira 21, que nesta segunda e amanhã eles não darão aulas e neste momento eles  estão em assembléia na sede da ASAV  para deliberação sobre indicativo de greve.

Ocupação do Bernardão 

Estudantes continuam na ocupação e se comunicam com funcionários e alunos da UFV que passam pelo local. Foto: Olho de Peixe.
Estudantes continuam na ocupação e se comunicam com funcionários e alunos da UFV que passam pelo local. Foto: Olho de Peixe.

Nesta segunda-feira completa uma semana de ocupação do prédio Arthur da Silva Bernardes por parte dos alunos da UFV. Em uma semana de ocupação os alunos cobraram da reitora Nilda de Fátima Ferreira Soares que a Universidade se posicione contrária a PEC 241, pediram ainda mais transparência nos processos administrativos da instituição. Sobretudo em relação ao Restaurante Universitário, os alunos alegam que haverá um aumento no valor das refeições, que hoje custa R$1,90 e com esse aumento passaria a custar R$3,00.

Na quarta-feira 19, a reitora decidiu atender o pedido dos ocupantes e foi até a ocupação e conversou com os alunos e afirmou que iria apoiar a decisão do Conselho Universitário (CONSU) em relação à PEC 241. Após  essa declaração os alunos chamaram a reitora de covarde em um comunicado postado nas redes sociais.

O comunicado afirma que a reitora da UFV Nilda de Fátima Ferreira Soares teve uma atitude covarde e “transferiu para o maior órgão deliberativo da instituição [CONSU] a tarefa de decidir qual será o posicionamento oficial da universidade, demonstrando, mais uma vez, que ignora o papel moral e ético desta universidade”.

Em uma carta publicada nas redes sociais os integrantes do movimento “Ocupa Bernardão-UFV” se mostraram insatisfeitos com a posição do CONSU da UFV em relação a PEC 241.

“A nota divulgada a respeito da PEC 241 não contempla nossa reivindicação, uma vez que realiza uma abordagem parcial e superficial dos impactos desta no desenvolvimento socioeconômico do país. Ela se posiciona apenas contra o conteúdo do texto como está colocado hoje, com ênfase em seus efeitos na educação, deixando uma brecha que tornaria a PEC 241 aceitável em caso de mudanças pontuais em sua redação”.

A carta afirma ainda que a ocupação é um movimento legítimo e quem forças de nível nacional. “Entendemos que somos um movimento de nível nacional (até o momento existem mais de mil ocupações) e seria um descaso com a sociedade e com as demais ocupações desocuparmos o prédio, sendo que muitas das demandas não foram nem se quer discutidas e uma nota oficial após a reunião do Consu tão simplória diante de um assunto de tamanha relevância e consequências. Tais atitudes demonstram a indiferença da Universidade Federal de Viçosa quanto às perdas progressivas de direito sociais”.

Greve dos servidores 

Aviso afixado na portaria de entrada da biblioteca da UFV informado sobre a greve.
Aviso afixado na portaria de entrada da biblioteca da UFV informado sobre a greve.

Na semana passada os servidores técnico-administrativos da UFV fizeram um protesto em frente a reitoria da UFV contra o retrocesso de tratamento aos funcionários de todos os setores da instituição, os funcionários são contrários ao assédio moral sofrido pelos técnicos por parte de seus superiores. Os funcionários também são contrários a PEC 241 e a privatização da TV Viçosa.

Os funcionários cobraram da reitora que não haja cortes de  insalubridade sem equipamentos de medição de riscos, outra pauta levantada pelo movimento é o fechamento do Laboratório de Desenvolvimento Humano que é destinado, que funciona como creche e acolhe e cuida dos filhos dos funcionários e alunos da instituição.

Outra demanda da categoria é o reajuste salarial estabelecido no Acordo de Greve de 2015, que previa um aumento de 5% em agosto deste ano e outros 5% em janeiro de 2016

A partir da 00 hora desta segunda-feira 24, os servidores do Campus Viçosa entraram em greve por tempo determinado e diversos setores da instituição terão seu funcionamento afetados.

 

Professores parados e indicativo de greve aprovado 

Professores da UFV no momento em que a greve foi aprovada. Foto:ASPUV
Professores da UFV no momento em que a greve foi aprovada. Foto:ASPUV

Na quinta-feira 20, os professores sindicalizados à ASPUV aprovaram em uma assembléia paralisação para esta segunda e amanhã terça-feira 25.

De acordo com uma nota publicada no site da ASPUV a paralisação que está ocorrendo é devido a um movimento de nível nacional contrário a PEC 241. ”  decisão se alinha a um movimento, que ocorre em todo o país, contrário a uma série de medidas, como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, a reforma do ensino médio e o projeto “Escola sem Partido”. O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e outras centrais sindicais elegeram 24 de outubro como Dia Nacional de Lutas dos Servidores Públicos”.

Já em uma nova assembléia na manhã de hoje 24, os professores da UFV aprovaram um indicativo de greve.  Isso significa que os professores da UFV estão mobilizados na construção de um movimento de greve, mas que, por enquanto, não tem data definida para início.

Os professores prometem não ficar de braços cruzados e existem outros movimentos da categoria marcados para esta segunda e para esta terça-feira.

Nesta segunda, às 19h, a Aspuv vai transmitir ao vivo o seminário “O Golpe no Sus”. O evento é aberto a toda a comunidade. Uma nova assembleia está marcada para esta terça-feira (25), às 16h, na sede da seção sindical, para avaliar o movimento.

 

 

Deixe uma resposta

Top