fbpx
CidadePolícia

Estudantes tomaram a Av. Santa Rita e causaram diversos problemas em Viçosa

Já é tradicional na cidade de Viçosa quando há o retorno das aulas na UFV, os alunos veteranos e calouros se reunirem na noite do domingo, que antecede o primeiro dia de aula para beberem e comemorarem mais um ano de estudos que se inicia. O ponto escolhido é a Avenida Santa Rita, ponto tradicional de encontros dos estudantes universitários da cidade. Mas, a festa dos estudantes não foi alegria para os moradores da avenida e também para motoristas que trafegavam pela região naquela noite, segundo informações extra-oficiais cerca de 5 mil pessoas estavam reunidas no local, o encontro se tornou uma festa com muita bebida e som alto, sujeira e depredação de bens particulares.

Cogita-se que 5 mil pessoas estavam reunidos no local.
Cogita-se que 5 mil pessoas estavam reunidos no local.

Motoristas foram impedidos de passar pela avenida e os  que tentaram atravessar no meio de toda àquela multidão foram agredidos e tiveram seus veículos danificados. É o que conta Rayane Ferreira da Cunha, moradora de Viçosa, que na noite do último domingo estava em seu carro com seu marido e de surpresa encontraram toda aquela multidão.

“Eu não sabia que a rua estaria fechada, e por isso passei pelo local. Fomos agredidos verbalmente com xingamentos, acertaram uma latinha na minha cabeça e quase bateram no meu esposo. Peço aqui providencias em relação a essas festas que acontecem no espaço púbico e também em relação às mesas dos bares que ficam nas calçadas. Não sou contra as festas, acredito que tem que haver sim até por trazer dinheiro para a cidade. Mas é preciso respeitar a nossa cidade e a nossa casa.” Disse Rayane em entrevista.

Nossa reportagem foi atrás das autoridades do município para saber se o encontro de estudantes que se tornou uma festa foi liberado.

Segundo José Geraldo secretário de Fazenda do município não houve nenhum pedido por parte dos donos de bares daquele local para que ali acontecesse aquele evento. Segundo ele a Prefeitura de Viçosa não autorizou que a rua fosse fechada e ocupada pelos estudantes.

Já Bruna Silva, que é Chefe da Divisão do Departamento de Trânsito, que regula e monitora o funcionamento das ruas de Viçosa disse a nossa  reportagem, que um proprietário de um dos bares que funciona no local esteve na sede da Secretaria de Trânsito na última quinta-feira 03, e fez um pedido verbal para que a rua fosse fechada nos dois sentidos para que os alunos pudessem ocupar o local. Segundo Bruna ele foi orientado a fazer um pedido por escrito, além de contatar Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Prefeitura para que a Avenida fosse liberada para que o evento pudesse ocorrer.

Ainda segundo Bruna, mesmo que ele fizesse o pedido por escrito o evento não seria liberado para acontecer naquele local. Pois é necessário que o pedido seja feito 60 dias antes da data do evento,e para que a rua fosse fechada deveriam ser apresentados diversos documentos em diversos órgãos da cidade.

Segundo relatos da Rayane que foi agredida, no local existiam banheiros químicos e até carros de som. O que mostra que o evento foi pensado e organizado para que acontecesse naquele local mesmo sem autorização da Prefeitura e demais autoridades do cidade.

Segundo moradores nenhuma viatura da polícia ou da Setra foram até o local para orientar o trânsito ou fazer a segurança do local.

Procuramos a Assessoria de Comunicação da 10º Companhia de Polícia Militar de Viçosa para darem esclarecimentos sobre a falta de policiamento no local mas, até o fechamento desta reportagem não obtivemos retorno.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo