fbpx
CidadeSaúde & Bem Estar

Clínica de fisioterapia da Prefeitura de Viçosa está fechada

Durante reunião ordinária da Câmara dos Vereadores de Viçosa na última terça-feira (27), o fechamento de uma das unidades clínicas de fisioterapia na cidade, cuja responsabilidade é da Prefeitura. Segundo os parlamentares, que pediram explicações do Executivo, o local foi fechado sem nenhum aviso a população, que ficou sem atendimento.

A Secretaria Municipal de Saúde explicou a situação e informou que a paralisação nas atividades foi preventiva, após constatação de irregularidades em um alvará do Corpo de Bombeiros. O enfermeiro da Secretaria Municipal de Saúde, Cléverson Roque Coutinho, afirmou que os pacientes estão sendo realocados para as outras duas unidades da cidade, que uma blitz foi realizada pelos bombeiros e que as adequações já estão em fase final.

O Corpo de Bombeiros de Viçosa informou, que depois de uma vistoria na estrutura física do prédio foi constatado que deveriam ser feitas algumas reformas e adequações no projeto arquitetônico do imóvel. Segundo o Sargento Dumas o Corpo de Bombeiros não lacrou muito menos mandou fechar a clínica.
De acordo com os vereadores Sávio José (PT), Marilange Santana Pinto Coelho Ferreira (PV), Edenilson José Oliveira (PMDB) e Sérgio Norfino (PSDB), a unidade teria sido fechada no dia 7 de abril sem que a população fosse avisada de imediato. “As pessoas não sabem nem o motivo. Meu questionamento é que haja uma explicação das razões que levaram a isso. O que eu sei é que as pessoas atendidas estão sendo prejudicadas em seus tratamentos”, disse o vereador petista.

Marilange reforçou que os equipamentos da clínica eram novos, mas teriam sido danificados por não terem recebido manutenção adequada.O vereador Sérgio Norfino  chamou atenção para a necessidade de manutenção preventiva. “A falta de manutenção é um problema sério na administração pública e pode ser o que culminou no fechamento da clínica”, apontou.

Já o vereador Edenilson José disse ter recebido informações de funcionários do local que comprovavam a versão de que os equipamentos estariam desgastados. “Conversei com os profissionais e eles me disseram que a maioria dos equipamentos estavam danificados. Também falaram da necessidade de contratar mais fisioterapeutas para atender adequadamente à população”, relatou.

Juntos, os parlamentares solicitaram à Comissão de Saúde e Assistência Social da Câmara, presidida pelo vereador do PSDB, que busque informações e traga esclarecimentos.

Secretaria de Saúde explica fechamento
O responsável pelas unidades, Cléverson Roque Coutinho, se defendeu das acusações e explicou que o prédio em que fica o centro passou por uma fiscalização quando foi detectada a ausência de um laudo específico, necessário o para funcionamento do local e que, além desta unidade, existem outras duas, que continuam realizando os atendimentos.

“Esse é um dos centros municipais, mas existem outros dois (no Centro e no Bairro Silvestre). Então, não centralizamos todos os atendimentos apenas em um. Como este fica em um edifício novo, que estava sem o laudo dos Bombeiros no projeto arquitetônico – o que é obrigatório desde 2011 –, recebeu uma denúncia e o órgão fiscalizador foi lá, conferiu e sentiu falta do documento”, disse.

Coutinho afirmou que a escolha pelo fechamento aconteceu para que as alterações fossem realizadas. “Nós interditamos provisoriamente e momentaneamente o local para que fosse solicitado o novo projeto arquitetônico. Já foi pedido o laudo, o Corpo de Bombeiros realizou a blitz e pediu algumas coisas a mais. Estamos fazendo essas alterações e providenciando outros documentos. Por isso, pedimos de 20 a 30 dias para colocar tudo em funcionamento novamente”, contou.

Em relação à falta de aviso à população sobre o fechamento, relatada pelo vereador José, o enfermeiro explicou que a comunicação não foi feita para não causar ‘transtornos políticos’. “Não divulgamos para a população por causa do ano político. Esse centro é de quatro anos atrás, quando ninguém dessa gestão estava aqui. Era outro prefeito, eu não estava aqui, nem o secretário estava”, justificou.

Ele deixou claro, no entanto, que os pacientes foram avisados individualmente e direcionados para os outros centros quando necessário. “Todos eles foram avisados e os procedimentos remarcados. Ligamos para um por um e direcionamos para outros centros. Acreditamos que daqui uns dias o centro esteja aberto novamente. O novo projeto exigiu que o prédio todo fosse refeito, então nós fomos preventivos e estamos resolvendo o problema”, reforçou.

Por fim, Coutinho disse que os pacientes que tiverem dúvidas ou quiserem marcar atendimentos devem ligar para o número (31) 3892-9329 e explicar a situação. Dependendo da reabilitação do paciente, os funcionários vão encaixá-lo ou pedir para que aguarde mais alguns dias.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo