Após pressão popular vereadores de Ervália irão votar redução dos próprios salários
9 de junho de 2016

Um movimento que começou pelas redes sociais atingiu diversos moradores da cidade de Ervália, tanto na área urbana quanto na rural. O Movimento Ervalense Presente tem como objetivo discutir os principais problemas da cidade de pouco mais de 18 mil habitantes na zona da mata mineira, segundo o IBGE. O principal objetivo do Movimento no momento é reduzir os salários dos vereadores, prefeito e vice-prefeito da cidade. E nesta sexta-feira 10, os vereadores irão votar o projeto de iniciativa popular, que visa reduzir os seus próprios salários.

O Movimento Ervalense Presente teve início no dia 13 de fevereiro de 2016 através de um grupo de amigos, que através de reportagens de televisão viram que em diversas cidades do interior de Minas a população estava se organizando para reduzir o salários dos vereadores e prefeitos.

Através de faixas e cartazes espalhados pela cidade, e uma página na rede social “Facebook” os organizadores conseguiram chamar a atenção da população, que rapidamente aderiu ao movimento.

Para levar a reivindicação até a Câmara de Vereadores o movimento organizou um abaixo assinado que precisaria de 800 assinaturas, oque equivale a 5% da população votante da cidade.

Segundo o bancário e organizador do movimento Adauto Gomes de Castro mais de 1.200 pessoas assinaram o abaixo assinado para redução dos salários dos políticos da cidade. Para ele foi surpreendente a aceitação da população com o movimento, ele disse ainda que a população da zona rural foi a que mais aderiu, diversas pessoas que moram na zona-rural nos procuraram para poderem ajudar na coleta de assinatura.

Salário Proposto pela população

Ervália conta atualmente com 11 vereadores eleitos e cada um ganha um salário no valor de R$6.238,12 custando anualmente aos cofres públicos cerca de R$74.857,44.

A nova proposta do projeto de lei de iniciativa popular quer que os vereadores ganhem abaixo do valor dos professores. De acordo o Ministério da Educação o piso nacional do salário dos professores é de R$ 2.135,64. Com o projeto os vereadores passarão a ganhar R$2.134,64 por mês, passando a custar para os cofres públicos da cidade R$25.615,68, uma economia de de mais de R$49.000 por ano para a pequena cidade.

Votação do projeto

O movimento terá seu ápice nesta sexta-feira 10, quando os vereadores irão votar o projeto que reduzirá seus salários, do prefeito e do vice-prefeito.

qeA reunião de votação do projeto irá acontecer às 19 horas na Câmara Municipal da cidade e segundo os organizadores do movimento a expectativa é que a população vá em peso para o dia que eles chamam de histórico na politica da pequena cidade.

De acordo com a proposta o prefeito que hoje recebe um salário no valor de R$16.000 passará a receber R$8.000 e o vice-prefeito que hoje recebe R$8.000 passará a receber R$4.000 por mês.

Próximos passos do Movimento

O organizador do movimento Adauto Gomes de Castro disse que a próxima proposta será uma lei que regulamenta os comícios que acontecem durante as disputas da Prefeitura da cidade. Ervália é conhecida na região por uma política quente de dois partidos grandes que brigam voto a voto nas urnas.

De acordo com Adauto o Movimento que que seja diminuído o número de comícios durante as campanhas e proibição de distribuição gratuita ou comercialização de bebidas alcoólicas durante esses eventos. Além de criar uma comissão para fiscalizar esses eventos na cidade. Adalto afirmou que esse projeto será apresentado o mais rápido possível e caso ele passe na Câmara seja implantado para as eleições ainda deste ano.

Caso o projeto não seja aprovado, os salários dos vereadores serão reajustados anualmente pela inflação (INPC) e poderão chegar a R$ 8.500,00, no ano de 2020.

Publicidade

NOVO ENDEREÇO NA RUA DOUTOR MILTON BANDEIRA, 34 – LOJA: 01 – CENTRO
WhatsApp (31) 9 8675-7021

Publicidade

(31) 3892-7686

Publicidade

(31) 3891-2524

Publicidade

Publicidade

Publicidade