Cidade

Viçosa registra queda na inflação do mês de maio

A inflação do mês de maio em Viçosa, calculada pelo Departamento de Economia da UFV, foi de 0,22%, sendo o menor valor para o índice em 2016.

No Brasil, a alta dos preços em maio foi mais intensa conforme o Índice de Preços ao  Consumidor  Amplo  (IPCA),  levantado  pelo  Instituto  Brasileiro  de  Geografia  e Estatística (IBGE). Tal índice, que é utilizado pelo governo como a medida da inflação oficial do país, foi de 0,78%.

Em maio dentre os sete grupos que compõem o IPC-Viçosa, seis apresentaram inflação e um apresentou deflação, conforme segue: Saúde e Cuidados Pessoais (0,70%); Vestuário (0,51%); Educação e Despesas Pessoais (0,40%); Transporte e Comunicação (0,31%); Habitação (0,11%); Alimentação (0,02%) e Artigos de Residência (-0,64%).

Em maio, o grupo Saúde e Cuidados Pessoais respondeu por 49,32% do valor do IPC. Assim como ocorrera em abril, os aumentos mais destacados de preços se deram no subgrupo Remédios (1,97%) e no item Higiene e Cuidados Pessoais (1,95%). Para os primeiros, a alta de preço, possivelmente, ainda, decorre da autorização do governo federal, a partir de primeiro de abril de 2016, para que os fabricantes de medicamentos pudessem reajustar os seus produtos em até 12,5%.

Já para o segundo item, a elevação no preço de produtos tais como escova de dente, sabonete, talco, aparelho para barbear e absorvente parece seguir a tendência de alta provocada pelo aumento na alíquota do Imposto de Circulação sobre Mercadorias e Serviços (ICMS), promovido pela Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais (SEF-MG), através do decreto nº 46.859, de 1º de outubro de 2015, que entrou em vigor em 1º de janeiro de 2016. Dessa forma, ao renovar os estoques de tais produtos, os estabelecimentos comerciais tendem a repassar para o consumidor final, o aumento do custo provocado pela alíquota mais alta.

Custo da cesta básica

No mês de maio, o custo da cesta básica recuou em -0,94%, com destaque para as  quedas  de  preço  dos  produtos  Tomate  (-12,26%),  Arroz  (-9,40%),  Banana  Prata (-9,22), Açúcar Cristal (-6,16%) e Óleo de soja (-4,10%). Por outro lado, alguns produtos como Feijão Vermelho (16,13%), Margarina (7,80%), Batata Inglesa (7,68%) e Café em Pó (7,32%) apresentaram elevações significativas de preço.

O custo da cesta básica, em Viçosa, no mês de maio foi de R$316,66, ou seja, R$3,33 mais barata em comparação ao mês de abril de 2016, cujo custo havia sido de R$319,99.

O trabalhador viçosense que ganhou um salário-mínimo de R$880,00 em maio, gastou 36,02% de sua renda para adquirir os produtos que compõem a cesta básica de alimentação, sendo que em abril, tal valor havia sido de 36,36% da renda. Dessa forma, em maio, após a aquisição da cesta básica, restou ao trabalhador R$563,01 para atender às demais despesas de moradia, saúde e higiene, serviços pessoais, vestuário e transporte. Em termos de horas trabalhadas, no mês de maio, foram necessárias 79,25 horas para adquirir os produtos da cesta básica de alimentação, enquanto, em abril, tal valor fora de 80,0 horas.

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido! © Copyright Primeiro a Saber.
Fechar
Fechar