População indignada: vereadores de Ervália rejeitam redução dos próprios salários
11 de junho de 2016

A Câmara de Vereadores de Ervália rejeitou por unanimidade em votação aberta dessa sexta-feira 10, o Projeto de Iniciativa Popular do Movimento Ervalense Presente que tinha como objetivo a redução dos salários dos vereadores, prefeito e vice-prefeito da cidade.
A população desde o início deste ano se organizou e formulou um projeto para equiparar o salário dos vereadores ao piso nacional dos professores. Os vereadores de Ervália que hoje ganham mensalmente  mais R$ 6.200 passariam a ganhar de acordo com o projeto R$ 2.134. Segundo a organização do movimento esse é um valor pelo simbolismo, já que R$ 2.135 é o teto nacional de um professor em 40 horas”.

Apoio da populaçãoDSC_3529 

O movimento que começou pelas redes rapidamente tomou conta das ruas de toda a cidade, e a população com faixas e apitos foi para a Câmara na noite de ontem para acompanhar a votação. Diversas pessoas discursaram, e pediram para que os vereadores votassem a favor do projeto e em favor dos professores e toda a população de Ervália.

População revoltada

13394040_1720310908239744_5993531645628788729_nPerguntados pelo Presidente da Câmara vereador Helder Mattos (PSDB) qual era a posição e voto dos vereadores em relação ao projeto todos os vereadores exceto o presidente votaram não a redução dos próprios salários e também do salário do prefeito e vice-prefeito. Nenhum vereador justificou o seu voto contrário ao projeto de iniciativa popular.

Acompanhe o momento da votação:

https://www.youtube.com/watch?v=iS-j22_se_s

A revolta tomou conta de toda a população presente na Câmara, que gritaram e apitaram  para que os vereadores justificassem seus votos. Nas redes sociais os organizadores do Movimento e diversas pessoas mostraram sua indignação e revolta.

Túlio Mattos comentou em seu perfil no Facebook o nome de cada vereador que foi contra o projeto.

“Ervália-MG tinha de tudo para fazer história hoje, 10/06. Um projeto popular de redução salarial para os vereadores a partir de 2017 foi votado na câmara dos vereadores. Todos os espaços estavam ocupados e o Movimento Ervalense Presente explanou os motivos para a redução. Ao final da fala, o movimento pediu: “nós estamos mostrando nossos pontos, se você for contra, conte para nós o motivo”.

Os vereadores se reuniram por 10 minutos e voltaram para a votação. Quem fosse contra o projeto de lei, deveria se levantar (o único esforço feito por eles, esforço que vale R$6.000,00). Por unanimidade, o projeto de lei foi rejeitado, provando que a profissão político existe e o termo “mamando nas tetas do governo” pode vir de vários modos. Ninguém justificou o voto.

Jacqueline, Rodrigo Crispim, Mazinho do Posto de Saúde, Carlinhos Bento, Zezé do Miltom Alcides, Guto, Maurílio Godinho, Buiú do Posto, Marcos do Posto de Saúde e Betinho do Bloco, vocês são covardes. Vocês não estão acima do poder do povo. Vocês não podem desrespeitar o fato de que a câmara dos vereadores estava cheia de eleitores que pediam, no mínimo, uma justificativa. O Movimento Ervalense Presente trabalhou, nesses últimos meses, muito mais do que vocês.

As eleições estão chegando, hein? Você vai aceitar que comprem seu voto com os R$6000,00 que eles tanto fazem questão?”

Adauto Castro um dos organizadores do Movimento em seu perfil no Facebook comentou o resultado da votação e parabenizou a todas as pessoas que estiveram na Câmara durante a votação. Para ele o Movimento fez história “ao desmascarar  a farsa que é a política de Ervália.” Ele disse ainda que “Apesar de existir dois grupos políticos que quase se mantam pelo poder na verdade eles fazem parte de um grupo organizado que possuem o mesmo interesse (dinheiro).”

Adauto lamentou a falta de argumentos, de coragem de olhar nos olhos da população e dizer o porque de votarem contra o projeto. Adauto afirmou que os vereadores reforçaram de que todos são iguais e não são dignos de representar o povo.

“O Movimento apresentou todos seus argumentos e nenhum vereador tentou justificar o seu ponto de vista.” Disse Adauto.

Adauto terminou dizendo que “O movimento não vai parar!”

Movimento Continua

De acordo com os organizadores a  partir de agora, o Movimento trabalha em outra empreitada que é não reeleger os vereadores atuais da casa. No Facebook o grupo divulgou fotos de cada vereador que votou contra o projeto com a frase “Por que você votaria nele?”. Clique aqui e confira os vereadores que votaram contra o projeto.

Publicidade

NOVO ENDEREÇO NA RUA DOUTOR MILTON BANDEIRA, 34 – LOJA: 01 – CENTRO
WhatsApp (31) 9 8675-7021

Publicidade

(31) 3892-7686

Publicidade

(31) 3891-2524

Publicidade

Publicidade

Publicidade