SAAE se manifesta sobre a seca e a possível falta d’água em Viçosa
21 de setembro de 2016

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Viçosa, SAAE, informa à população do município que possui 16 sistemas de abastecimento de água para atender a demanda da cidade. Sendo 14 poços artesianos que fornecem água para comunidades urbanas e rurais, condomínios e distritos. Os outros sistemas são as Estações de Tratamento de Água (ETAs), que efetuam as captações no Ribeirão São Bartolomeu/lagoas da UFV (ETA I – Pintinho) e no Rio Turvo Sujo (ETA II – Violeira).

A população Viçosense, em períodos de normalidade, consome diariamente aproximadamente 16 milhões de litros de água. Para atender essa demanda, a Autarquia tratava (antes da crise hídrica), aproximadamente, 95 litros de água por segundo (L/s) na ETA II e 95 L/s na ETA I.

No final de 2015, foram iniciadas diversas alterações nos sistemas para aumentar a capacidade de tratamento na ETA II e diminuir a demanda de água do Ribeirão são Bartolomeu, que sofre constantes baixas na vazão. O manancial do Rio Turvo Sujo vem apresentando vazão suficiente para atender a demanda de todo o município, mesmo nos períodos de estiagem. Em vista disso, a Autarquia aumentou em 2015 a outorga de captação de água de 100 L/s para 250 L/s na bacia do Rio Turvo Sujo.

Além disso, já está em execução, a obra que ampliará e modernizará todo o sistema existente de tratamento de água na ETA II, objetivando uma vazão de 220 L/s. No momento a obra encontra-se 15% concluída, obedecendo o cronograma previsto, com o investimento nesse ano de 1.350.000,00, recursos próprios da Autarquia. Os recursos deste montante não eram investidos no aumento da capacidade de tratamento desde 1992.

Com o aumento da outorga e algumas soluções técnicas, o SAAE já opera atualmente a ETA II com uma vazão 142 L/s, o que corresponde a aproximadamente 70 % da necessidade diária da população do município. Para realizar tais manobras, o SAAE investiu na interligação do anel de abastecimento de água potável dos sistemas ETA I e ETA II, obra executada com a instalação de tubos com diâmetro de 250 milímetros, numa extensão de 406 metros, que engloba as Ruas Mizael Lustosa, Juquinha Moreira e a Praça Ricardo Alves no bairro Silvestre, a obra foi concluída em março de 2016.

Reforma da ETA II na Violeoira
Reforma da ETA II na Violeoira

Além destes avanços, o SAAE investiu na troca da subestação de energia elétrica da ETA I; a intervenção possibilitou melhorias na distribuição de água para os bairros Santa Clara, Bom Jesus, Nova Viçosa, Fátima, Sagrada Família, São Sebastião e Betânia.

Em maio de 2016, a Autarquia realizou a troca de bombas nas Estações Elevatórias dos bairros João Braz, Campestre e Floresta, intervenções que melhoraram a distribuição de água nessas regiões. Outras obras estão sendo projetadas afim de armazenar um maior volume de água nos mananciais da cidade, duas barragens na bacia do São Bartolomeu, acima do campus da UFV, e outra, acima da captação da ETA II, na bacia do Turvo Sujo. O SAAE solicitou da Universidade Federal de Viçosa, apoio técnico para a elaboração dos projetos executivos e licenciamento ambiental.

A Autarquia tem investido ao longo dos anos em projetos e intervenções de recuperação de nascentes com o objetivo de melhorar a qualidade e quantidade de água dos mananciais. Essas atividades foram executadas em parceria com agricultores e com a Agência Nacional das Águas, ANA.

Os trabalhos na bacia do São Bartolomeu estão tendo continuidade com investimentos em construções de pequenas barragens, reflorestamento das cabeceiras, matas ciliares, e mais recente, a elaboração dos estudos em parceria SAAE/Prefeitura de Viçosa e Departamento de Engenharia Florestal da UFV para efetivamente criar a Área de Proteção Ambiental, APA, da bacia do São Bartolomeu.

A Autarquia enfatiza que mesmo com as manobras técnicas, obras e interrupções escalonadas que vem garantindo o abastecimento de água para toda a população, a conscientização sobre o uso racional de água é medida fundamental para assegurar a não escassez do recurso, pelo menos enquanto perdurar a estiagem em nossa região e no País.

Por isso o racionamento no abastecimento de água iniciado em outubro de 2014, conforme o decreto nº 4.760/2014 dentre outras medidas preventivas da Autarquia continuam vigentes no município visando manter água tratada disponível para os moradores.

publicidade

publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade