POR FALTA DE DINHEIRO HOSPITAL SÃO JOÃO BATISTA DEIXA DE ATENDER PACIENTES
13 de outubro de 2016

O coordenador médico da UTI do Hospital São João Batista (HSJB) Fernando Fonseca dos Reis, informou através de carta enviada à Câmara Municipal de Vereadores de Viçosa, que o Hospital está passando por uma grave crise devido à falta de repasses e que diversos atendimentos estão sendo suspensos.

De acordo com o coordenador da UTI a equipe médica que atende na Unidade de Tratamento Intensivo está com os salários atrasados. Além disso, o coordenador afirma que não houve, em 2016, o reajuste anual nos valores dos plantões, bem como o acerto de uma data para o pagamento dos devidos honorários.

Já o diretor administrativo do HSJB Sérgio Cardoso Pinheiro disse que “a administração do Hospital não vem medindo esforços para manter com qualidade o atendimento de seus pacientes. Obtivemos grandes avanços nos últimos anos, mas a crise por que vem passando o País neste ano de 2016, agrava a situação do Hospital”.

Segundo o documento enviado as Prefeituras, “a despeito do descaso da Administração do HSJB com seu corpo clínico, os profissionais vêm cumprindo suas obrigações com comprometimento e responsabilidade […] de forma a não causar prejuízos à população de Viçosa”. O comunicado informa ainda que a equipe médica da UTI formulou, em setembro, reivindicações e que, caso estas não sejam atendidas, a equipe médica da Unidade (coordenador, diaristas e plantonistas) encerrará suas atividades no dia 01 de novembro.

O diretor do Hospital Sergio Pinheiro informou a nossa reportagem que os salários e os honorários atrasados dos meses de maio, junho, julho e agosto de 2016 estão sendo pagos ao pouco, pois existe um acordo em que os salários são pagos após  o faturamento e recebimento das contas da instituição. Ainda de acordo com o diretor do hospital o mês de maio já foi pago e os meses de junho e julho permanecem pendentes.

Ele destacou que de nada adianta a Administração do Hospital fazer a sua parte, se os Gestores a nível municipal, estadual e federal, não tomarem as medidas necessárias para melhoria da remuneração pelos serviços, ou pelo menos, realocação dos já escassos recursos, de acordo com o desempenho das instituições.

Mudanças no atendimento

De acordo com o documento a partir do 1º de outubro, os pacientes que forem classificados na cor Azul (atendimento que não requer urgência) de outras cidades não serão atendidos na instituição, esse atendimento será oferecido apenas aos moradores de Viçosa. Já os pacientes de outras cidades terão que buscar atendimento no Hospital São Sebastião ou nas unidades de saúde de suas cidades.

Já a partir do dia 15 de outubro essa medida será estendida aos pacientes classificados na cor Verde (atendimento que requer pouca urgência) só serão aceitos pacientes que residem em Viçosa.
Já o atendimento classificado nas cores Amarela que são as pessoas que com casos graves que podem levar a morte e os pacientes classificados na cor Vermelha que são, por exemplo, acidentados continuaram a receber atendimento no HSJB. Mas, esses atendimentos vão continuar enquanto o Hospital tiver condições financeiras de manter as equipes médicas.

Internações

A direção do Hospital informou que desde o último sábado 01, a internação de pacientes de todos os municípios que buscam atendimento ficará restrita apenas a ala C, fazendo com que sejam ofertadas menos vagas para internação.
O documento também informa que desde o dia 01 deste mês todas as cirurgias que eram previamente agendas estarão suspensas para os pacientes que não são de Viçosa.

CTI pode ser desativado

O Hospital São João Batista atualmente conta com nove leitos no CTI, seis são usados pelo SUS e outros três são destinados as pacientes de convênios e particulares. O Hospital informou que muitas vezes esses três leitos que não são do SUS estão sendo usados para internação de pacientes da rede pública gerando um gasto acima do teto e o Hospital não recebe a devida remuneração por parte do SUS.

O diretor do Hospital informou que nesse momento não será imposta nenhuma restrição ao uso dos mesmos, mas o Hospital poderá ser obrigado a desativar alguns desses nove leitos ou até mesmo fechar o CTI pela dificuldade de manutenção dos equipamentos ou até de pagar os salários dos médicos e enfermeiros daquela ala.

O diretor do Hospital terminou dizendo que “Esperamos que sejam tomadas as atitudes necessárias no sentido de fazer justiça com HSJB no que se refere a devida remuneração pelos relevantes serviços que vem sendo prestado aos pacientes da região de saúde de Viçosa.”

publicidade

publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade