ACORDO ENTRE MP E CEMIG GARANTE PROTEÇÃO AOS MACACOS MURIQUIS NO PARQUE SERRA DO BRIGADEIRO
28 de novembro de 2016

Um acordo firmado entre o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), e a Companhia Energética do Estado de Minas Gerais (Cemig), promete proteger os animais que vivem no Parque Estadual da Serra do Brigadeiro em Araponga e outras cidades da região. Sobretudo proteger o maior primata das Américas, o muriqui, uma das espécies mais ameaçadas de extinção na atualidade. O acordo firmado prevê que a Cemig troque todos cabos da rede elétrica, que corta a sede do parque por fios isolados.

Técnicos da Cemig realizando a troca dos fios. Imagem: Agência Minas
Técnicos da Cemig realizando a troca dos fios. Imagem: Agência Minas

Na prática, isso significa que, se algum animal tocar acidentalmente a rede, como é comum ocorrer com os macacos, ele não receberá descarga elétrica. A rede protegida não evita que o choque ocorra, caso o animal permaneça sobre o cabo por muito tempo, mas, como os muriquis costumam escolher trilhas para seu deslocamento, o risco de acidentes é muito menor.

A Cemig é responsável pelo fornecimento de energia elétrica em uma parte do parque. As alterações foram realizadas em três trechos distintos, na área central da unidade de conservação. O trabalho foi desenvolvido ao longo de um mês.

Foram trocados 1.350 metros de rede convencional por cabos protegidos, com a instalação de seis postes intercalados. Também foram retirados 513 metros de cabos nus da mata e instalados 616 metros de rede protegida ao longo da estrada, o que também contribui para a redução do risco de contato dos animais com o cabeamento de energia.

3 macacos morreram eletrocutados 

De acordo com o MPMG pelo menos três macacos da espécie “muriqui-do-norte” morreram em decorrência de descarga elétrica causadas pela linha de distribuição de energia que passam pelo parque.  Sendo um dos maiores macacos das Américas, os muriquis são considerados uma das 25 espécies mais ameaçadas de extinção do mundo. Eles estão listados na categoria “criticamente em perigo” e sua população estimada é de 900 indivíduos, dividida em 12 locais nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Dentro do Parque Estadual Serra do Brigadeiro, estima-se a existência de 325 indivíduos, o que insere a unidade de conservação como área prioritária para a conservação da espécie.

Além da substituição da rede elétrica, a Cemig irá, como medida de compensação ambiental, custear projeto destinado à proteção da espécie muriqui-do-norte no Parque Estadual Serra do Brigadeiro.

No parque, vivem espécies como a suçuarana ou puma, a jaguatirica, a caititu, o veado mateiro, o cachorro-do-mato, o tamanduá-de-colete, o caxinguelê, a preguiça-de-três-dedos, o macaco-prego, o sagui-da-serra. O local também é refúgio de animais que, assim como o muriqui, estão ameaçados de extinção, tais como o sauá, a onça-pintada, a jaguatirica e o sapo-boi.

Diversos tipos de aves ainda podem ser observados na área de preservação, como o pavó, o papagaio-do-peito-roxo, o gavião-pomba, o tucano-do-peito-amarelo, o trinca-ferro e a araponga.

publicidade

publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade