POPULAÇÃO COMEMORA PRISÃO DE PADRE ACUSADO DE PEDOFILIA, VENDA CRIMINOSA DE IMAGENS DE SANTO E OBRAS DE ARTE DA IGREJA
23 de fevereiro de 2017

 

Pe. Paulo César Salgado prestando depoimento à Polícia. Foto: Jornal Líder Notícias.

Conforme dados da Assessoria de Comunicação Organizacional da 21ª Cia PMMG – Ponte Nova, na manhã de quarta-feira 22, foi desencadeada uma operação prender suspeitos de envolvimento numa rede de pedofilia e de comercialização de imagens de santos e objetos sacros, pertencentes a diversas paróquias, localizadas em cidades da Zona da Mata, em especial, na microrregião do Vale do Piranga. Na operação foram detidos, e encontram-se à disposição da Justiça, Paulo César Salgado, padre e administrador da Quase Paróquia de São José de Botas, de Oratórios, Wladimir Gomes Magalhães, secretário da casa paroquial, Sebastião Moreira de Souza, em Matipó, e o Vinicius Gomes Brandão, advogado, de Rio Casca.

Trata-se de um inquérito instaurado pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais, que conta com apoio operacional da Polícia Militar. As investigações se intensificaram nos últimos dias, culminando com o cumprimento de mandado de prisões preventivas contra os suspeitos e de busca e apreensão dos objetos comercializados ilegalmente. Em Matipó, foi preso Sebastião Moreira de Souza, suspeito de ser uma espécie de agente aliciador de crianças e adolescentes para a prática de atos sexuais. Com ele foi apreendido farto material pornográfico envolvendo menores. Em Rio Casca, a Polícia Militar prendeu o advogado Vinícius Gomes Brandão com quem foram encontradas inúmeras peças sacras, além de documentos que indicam sua participação na compra e venda de imagens e peças sacras de inúmeras igrejas. Já, em Oratórios, foram presos

Imagens de santos apreendidos na operação. Foto: Jornal Líder Notícias.

Wladimir Gomes Magalhães, 51 anos, secretário da Paróquia de São José de Botas e o padre Paulo César Salgado, 57 anos. Os dois também são acusados de integrarem um esquema de abuso sexual de menores e venda criminosa de obras religiosas.Com o padre e seu secretário foram apreendidas dezenas de imagens de santos e peças de arte, inclusive de alto valor, segundo informações do próprio religioso. Na casa do padre foram encontradas imagens de grande valor artístico e peças sacras, de propriedade de paróquias por onde ele havia servido anteriormente e que haviam desaparecido misteriosamente.

Imagens de santos apreendidos na operação. Foto: Jornal Líder Notícias.

No final da tarde desta quarta-feira 22, no quartel da PM, após ser retirado de Oratórios, sob intensa manifestação popular, o próprio vigário ajudava os policiais na identificação das peças e informando os preços estimados de cada uma delas. Em seguida tanto o padre Paulo César e o secretário Wladimir foram conduzidos à Delegacia de Polícia de Segurança Pública, onde permanecem presos por ordem da Justiça, enquanto o Ministério Público trabalha para concluir o inquérito, antes de oferecer denúncia contra os acusados. O advogado Vinícius Gomes Brandão está preso, em
Rio Casca, enquanto Sebastião Moreira de Souza encontra-se trancafiado em Matipó, onde aguardam a conclusão das investigações.

Fogos e aplausos em Oratórios, Acaiaca e Piedade de Ponte Nova

Tão logo tomou conhecimento dos fatos, a população de Oratórios tomou conta das ruas para acompanhar o trabalho policial. Muitas fotos e vídeos foram postadas nas redes sociais, e numa manifestação de apoio ao Ministério Público e à Policia Militar, dezenas de populares aplaudiram e comemoraram as prisões e apreensões com salvas de fogos de artifício.

A prisão de Padre Paulo César repercutiu intensamente, também, em Acaiaca, onde ele foi acusado de “sumir” com vinte e seis mil reais, em cheques, conforme informações de fieis da Paróquia de São Gonçalo. Nas redes sociais, inúmeros cidadãos piedadenses comemoraram a prisão do Padre, informando que ele não era querido na cidade e que deixou péssima impressão na passagem que teve naquele município.

Em nota a Arquidiocese de Mariana informou que por ,medida cautelar, a Arquidiocese de Mariana decidiu afastar o Pe. Paulo César Salgado do exercício do ministério, enquanto aguarda o resultado da apuração dos fatos e a sentença judicial no foro civil e no foro eclesiástico.

A nota afirmou ainda que a Arquidiocese de Mariana está disposta a colaborar com a Justiça em tudo o que for necessário para a elucidação dos fatos. E que a a quase Paróquia de São José, em Oratórios, será confiado temporariamente ao Pe. Wander Torres Costa, Pároco da Paróquia de São Sebastião, em Ponte Nova.

A Arquidiocese lamentou profundamente a prisão do padre e afirmou que esses fatos que ferem o Corpo Eclesial, escandalizam a comunidade cristã e geram desencanto e repúdio.

Fonte: Jornal Líder Notícias

A população de Oratórios aplaudiu a prisão do Padre Paulo César Salgado.

 

Prisão do secretário paroquial Wladimir Gomes Magalhães. 

publicidade

publicidade

publicidade