PREFEITURA DE VIÇOSA ANUNCIA CRIAÇÃO DA APA DO RIBEIRÃO SÃO BARTOLOMEU
27 de março de 2017

A principal fonte de água potável para consumo dos moradores de Viçosa e da Universidade Federal de Viçosa é o ribeirão São Bartolomeu que há anos vem sofrendo com o esgoto que é despejado desordenadamente no seu leito e por construções de prédios residenciais e comerciais que fincaram suas fundações em cima do ribeirão e o canalizaram em alguns trechos. Mau cheiro e a diminuição do volume d'água do ribeirão são visíveis e a natureza vem dando o recado de que o São Bartolomeu não aguenta mais tanta agressão e há anos Viçosa e UFV sofrem com a falta de água nas represas e consequentemente em suas torneiras.

Na última terça-feira 21, houve uma reunião entre a Diretoria de Meio Ambiente do Instituto de Planejamento do Município (IPLAM) e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto, onde foi anunciado a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) da Bacia do Ribeirão São Bartolomeu e também foi definido o cronograma das etapas obrigatórias que antecedem a criação da APA do São Bartolomeu.

Durante os últimos meses, a Prefeitura vem articulando reuniões para a ampla discussão sobre o tema, inclusive encontros com as comunidades que serão afetadas com a criação da APA. O projeto conta com a contribuição do engenheiro florestal e professor da UFV Gumercindo Souza Lima, que está cedendo ao Município um estudo que aborda todo o processo de implantação de uma APA. Gumercindo é especialista em planejamento de unidades de conservação e manejo de áreas protegidas.

Nesta última reunião, ficou definida a programação das próximas etapas, que estabelece a data limite de 13 de abril para a entrega do restante dos dados à Prefeitura por parte do professor voluntário. Na sequência, o Executivo fará a análise dos dados, que deve ser concluída até dia 20 de abril. Já entre os dias 24 de abril e 23 de maio, o documento será disponibilizado para consulta pública na internet e, por fim, será realizada uma audiência pública no dia 24 de maio para que a população possa opinar e participar da elaboração final do projeto.

O limite da área a ser protegida já foi definido e inclui as Sub-Bacias do Córrego Santa Catarina (Mata do Paraíso), do Córrego do Palmital, do Córrego do Engenho, do Paraíso, da Fazenda Almiro Paraíso e das Micro-Bacias do Deserto e do Romão dos Reis. Além da definição da área de abrangência, a APA já possui um estudo técnico de caracterização sócio-ambiental.

publicidade

publicidade

publicidade