SERVIDORES MUNICIPAIS VOLTAM A SE MANIFESTAR NA CÂMARA
4 de maio de 2017

A greve dos servidores municipais realizada no final de abril voltou a ser pauta na Câmara Municipal, durante a reunião Ordinária da terça-feira (02), em mais uma sessão de Plenário cheio. Na Tribuna Livre, a servidora Maria Aparecida Torres falou sobre as solicitações do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Viçosa (SINFUP), e o assunto foi comentado pelos vereadores.

Maria Aparecida agradeceu o suporte dos parlamentares ao movimento, e destacou que a greve foi feita de forma responsável: “não deixamos a população sem atendimento em nenhum serviço”, disse. A servidora falou ainda sobre o plano de carreira dos funcionários. Segundo ela, não houve debate na formulação do plano, feito em novembro de 2015: “havia muitos cortes em direitos, não adequados à realidade do servidor, fazendo com que a negociação perdesse força”. O Município afirma que o plano foi enviado ao SINFUP no final de 2016, e que não obteve resposta do Sindicato.

Os vereadores fizeram coro à causa. Paulo Sérgio da Silva (Toti) reafirmou que a greve não causou transtornos à população, e disse que é “hora de a Casa Legislativa se reunir diretamente com o Prefeito Municipal para dar mais atenção aos trabalhadores”. O Vereador Ronildo Antônio Ferreira (Dj Ronny) (PSC) destacou a paralisação nacional do dia 28 de abril: “o trabalhador brasileiro está perdendo direitos e é preciso dar um basta”, afirmou.

Sávio José (PT) valorizou a “disposição e maturidade” do movimento no andamento das negociações: “poderiam ter prolongado a greve diante da mesma proposta do Executivo, em vez disso, Sindicato e servidores, dispostos a negociar, apresentaram contraproposta”. Para o Vereador Sérgio Aloíso da Silva (Sérgio Construtor) (PSDC) o movimento representa “uma luta incansável por direitos”. O Vereador Antônio Elias Cardoso (Tuim) (PTB) pediu aos servidores que não se conformem: “falta, por parte do Executivo, ouvir e valorizar o trabalhador, que é a principal engrenagem desse país”, disse.

publicidade

publicidade

publicidade