CidadeCulturaDestaque da semana

ENCENAÇÃO DA 24ª SEMANA SANTA DE SÃO JOSÉ TRIUNFO TRAZ COLABORAÇÃO E EVANGELIZAÇÃO

Há 24 anos, as coisas eram difíceis, o transporte escasso e em poucos horários. Momento em que então, os moradores de São José do Triunfo (carinhosamente chamado de Fundão), distrito de Viçosa, decidiram organizar a 1ª Semana Santa.

A encenação da Semana Santa já era realizada na praça da Igreja Matriz de Santa Rita de Cássia no Centro de Viçosa. Contudo, os moradores de São José do Triunfo nem sempre conseguiam comparecer na festa.

Foi então que em 1995, 4 moradores decidiram organizar a primeira encenação da Semana Santa de São José do Triunfo. Sebastião Soares, Marino, Osvaldo e Cléber, habitantes bem conhecidos da cidade, se uniram e através de doações e apoio de todos do Fundão a primeira festa foi realizada.

Nos primeiros anos, a encenação era apresentada em 3 dias da semana. Com tempo e aperfeiçoamento, os moradores foram se organizando, melhorando as cenas e passaram a realizar a encenação durante todos os dias da Semana das Dores.

A semana que antecede a Semana Santa é, para os católicos, a Semana das Dores. São as dores de Maria, mãe de Jesus, mas podem ser as dores de qualquer mãe.

No ano seguinte à primeira exibição, Imaculada Conceição Lopes, que já participava da organização de encenações da Semana Santa em Viçosa e Canaã, foi chamada para integrar o time de idealizadores do ação.

Sebastião Idelfonso, um dos primeiros participantes da encenação, representa o papel do discípulo André. Ele conta que está engajado na festa desde sua idealização: “Era muito difícil ir para Viçosa, não tinha transporte. Então decidimos fazer a nossa própria Semana Santa aqui no Fundão”, conta.

Com o tempo, além do aumento nos dias de apresentações, que eram de 3 dias e passaram para 8 dias, as cenas também foram aperfeiçoadas e ganharam novas representações para as tradicionais cenas vivenciadas por Jesus Cristo.

Os ensaios também foram se adaptando. Imaculada, organizadora da encenação até os dias atuais, conta que até pouco tempo os ensaios eram feitos de forma diferente. Os moradores ficavam muitos dias e muitas horas ensaiando. Contudo, eles foram percebendo que a tática não estava dando muito certo, pois os participantes, sendo eles todos voluntários e com diversos afazeres ao longo do dia, ficavam extremamente cansados, tornando os ensaios desgastantes.

Agora, os ensaios acontecem durante as duas semanas que antecedem a Semana das Dores e são realizados todas as noites, às 19h30, no próprio cenário pré-montado em frente a Igreja de São José.

O cenário, figurino e todos os adereços que compõe os personagens, são feitos pelos próprios voluntários. Durante os fins de semana, os integrantes do elenco se reúnem e montam o palco que cobre toda a fachada da Igreja São José com madeiras.

O palco possui diversos nivelamentos e mostra cada setor para cada grupo de personagens. Um desses setores, é onde os anjos ficam. Os anjos são compostos por crianças, que veem com admiração o trabalho dos pais, tios e avôs que já participam da encenação a tantos anos.

Sebastião Idelfonso conta com orgulho como sua netinha fica animada em interpretar na encenação da Semana Santa juntamente com ele.  Ele destaca que a encenação é uma catequese para as crianças, em que elas podem evangelizar e aprender. “As crianças são o futuro da Semana Santa, nós que já somos antigos, participamos para incentivar os mais jovens a continuar a tradição”, destaca.

Ana, de 8 anos, conta que é a segunda vez que ela participa da encenação. “Eu serei o anjo e também a multidão. É muito legal, eu participo da catequese e a professora chamou a gente para participar”, relata a menina.

Imaculada Lopes diz que o elenco segue estruturado ao longo dos anos e que quando alguém não pode participar, eles convidam outra pessoa da comunidade para representar o papel. “Nós identificamos uma pessoa que tem o perfil para o papel, que seja desinibida e não tenha vergonha de falar em público”, destaca.

Além disso, ela fala que Cléber, um dos fundadores da encenação, era quem representava Jesus, mas que agora, após a saída dele, Carlos Giovanni é que representa. Ela argumenta  que a organização sempre tenta manter o elenco bem misto, com a participação dos atores antigos, como Sebastião e Osvaldo, mas também tentam aproximar os jovens e crianças.

Os custos da festa são todos arrecadados por meio de doações. Os próprios atores ajudam na compra dos materiais do cenário e vestuário. Além disso, nesse ano, eles também organizaram um forró beneficente, para arrecadar fundos para a construção do cenário.

O som e a iluminação do evento ficam por conta da Prefeitura de Viçosa, que auxilia na realização da Semana Santa em São José do Triunfo.

Na encenação é utilizada a dublagem, para prevenir possíveis erros na hora da apresentação. Os próprios atores gravam suas vozes lendo as falas antes do evento, que é colocada durante a apresentação ao vivo. Contudo, Imaculada destaca que é extremamente importante a presença dos atores no ensaio, “é preciso vir nos ensaios para que a apresentação fique harmônica, fique casado a fala”, conta.

A programação da encenação da Semana Santa 2019 já está montada. Convide toda a família e participe dessa tradição viçosense.

Direção de Imaculada Conceição Lopes, Padre José Afonso de Lemos.

Apoio: Prefeitura de Viçosa, Polícia Militar de Minas Gerais, Rádio Montanhesa e Primeiro a Saber.

 

PROGRAMAÇÃO:

Dia 14 de abril – Domingo de Ramos

ÀS 10H Procissão de Ramos:

Procissão saindo da rua Maria Brigida, n° 82 da casa do Sra. Elizângela de Fátima R. Caetano, seguindo-se para Igreja, onde haverá missa.

ÀS 20H – Cenas ao vivo

Os Dez Mandamentos – (Ex 22, 1-19)

Batismo de Jesus (Mt  3, 1-17)

Tentação de Jesus no Deserto (Mt  4, 1-11)

Bodas de Caná (Jo  2, 1-11)

 

Dia 15 de abril – Segunda-feira Santa

Às 20h – Encenações ao vivo:

Jesus e a Samaritana (Jo 4, 5-42)

Jesus e o Jovem Rico (Mc 10, 17-30)

Parábolas e mulher adúltera (Mc 22, 34-40/ Jo 8, 1-11)

Multiplicação dos pães (Lc 9, 11-17)

 

Dia 16 de abril – Terça-feira Santa

Às 19h – Celebração Penitencial

Às 20h – Encenações ao vivo:

Jesus na sua cidade natal (Lc 4, 14-30)

Sermão da Montanha (Mt 5, 1-11)

Cristo e César (Lc 20, 20-26)

A Cura do Possesso e Mulher Cananeia (Mc  1, 21-2/ Mt 15, 21-28)

A Viúva de Nain (Lc 7, 11-17)

 

Dia 17 de abril – Quarta-feira Santa

Às 20h – Encenações ao vivo:

Ressureição de Lázaro e Jesus e as Crianças (Jo 11, 1-14- Lc 18, 15-17)

A Cura no Sábado e a Mulher Encurvada ( Mt 12, 9-21/ Lc 13, 10-17)

A Cura dos Dez Leprosos (Lc 18, 18-30)

Jesus e Zaqueu e a Filha de Jairo (Lc 19, 1-10/ Mt 9, 18-26)

A Pecadora Perdoada (Lc 7, 36-50)

 

Dia 18 de abril – Quinta-feira Santa

Às 18h – Missa da Ceia do Senhor, seguida de adoração até 00h.

Às 20h – Encenações ao Vivo:

O Encontro de Jesus e Maria

A Conspiração contra Jesus (Jo 18, 1-40)

A Última Ceia (Jo 13, 1-38)

Horto e Prisão do Senhor (Jo 13, 1-12)

 

Dia 19 de abril – Sexta-feira Santa

Às 6h – Caminhada Penitencial nas comunidades.

Às 15h – ação Litúrgica Celebração da Paixão do Senhor

Às 20h – Encenações ao vivo:

Negação de Pedro (Mt 26, 69-75)

Julgamento (Mt 26, 57-66)

Enforcamento de Judas (Mt 27, 1-10)

Paixão e Morte (Mt 27, 32-50)

Reflexão do discernimento, em seguida, procissão do enterro.

 

Dia 20 de abril – Sábado Santo

Às 20h

Vigília Pascal (Missa)

 

Dia 21 de abril – Domingo de Páscoa

Às 18h30 – Missa Celebração Páscoa da Comunidade

Às 20h – Encenações ao vivo:

Ressureição de Cristo (Mt 28, 1-7)

Cenáculo (lc 24, 36-49)

Discípulos de Emaús (Lc 21, 13-35)

A Aparição da Galileia (Jo 21, 1-25)

Ascenção de Jesus Cristo (Lc 24, 50-53)

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido! © Copyright Primeiro a Saber.
Fechar