CidadeEconomia

IPC-Viçosa registra deflação em outubro

O Índice de Preços ao Consumidor de Viçosa (IPC), calculado pelo Departamento de Economia da UFV, apresentou, em outubro, deflação de -0,30%. Já, nacionalmente, houve um aumento, uma vez que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medida da inflação oficial do país, foi de 0,10%. Apesar da elevação, esse índice é o menor resultado para um mês de outubro desde 1998, quando o IPCA ficou em 0,02%.

Dos sete grupos que compõem o IPC-Viçosa, quatro registraram deflação: Habitação (-1,27%); Saúde e Cuidados Pessoais (-0,71%); Transporte e Comunicação (-0,24%), e Alimentação (-0,14%). Já dois tiveram aumento: Artigos de Residência (0,72%) e Vestuário (2,59%), enquanto o grupo Educação e Despesas Pessoais permaneceu estável.

O custo da cesta básica em Viçosa também apresentou deflação (-2,07%). Os produtos que tiveram as maiores quedas no preço médio foram tomate (-29,27%), margarina (-8,70%) e batata inglesa (-5,42%).

O DEE acompanha, desde 1985, a evolução dos preços de bens e serviços pagos pelos consumidores viçosenses. O público-alvo da pesquisa é uma família de quatro pessoas, com renda entre um e seis salários mínimos. A pesquisa é realizada pelo professor Jader Fernandes Cirino e pela técnica Vânia Eugênia da Silva, com o apoio da Fundação Arthur Bernardes (Funarbe) e da Empresa Júnior de Economia (Ejesc Jr).

O boletim de outubro pode ser conferido no arquivo anexo. As séries históricas e boletins anteriores do IPC-Viçosa estão disponíveis na página do DEE.

ARQUIVO(S) ANEXO(S)

Fonte: UFV.

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido! © Copyright Primeiro a Saber.
Fechar
Fechar