fbpx
Cidade

Prefeitura de Viçosa mantém abertura de atividades produtivas e comerciais já liberadas

A Secretaria de Saúde de Viçosa, orientada por normas de saúde e pelo Conselho Técnico, considera que o município possui condições técnicas e sanitárias para manter em funcionamento os estabelecimentos comerciais vistoriados e já autorizado. O anúncio é feito após o Governo do Estado suspender a “onda amarela” do programa Minas Consciente, em função do avanço da pandemia.

Minas Consciente divide o estado em regiões e avalia a condição daquela região para enfrentar a pandemia. A partir dessa avaliação regional, o programa prevê a liberação gradual de atividades econômicas, divididas em quatro “ondas”. Se tivesse aderido ao programa, Viçosa estaria classificada na região Leste do Sul, que inclui as microrregiões de Ponte Nova e Manhuaçu. Nessa região, passa a vigorar, novamente, a “onda branca”. Com isso, salões de beleza, papelarias e lojas de roupas, por exemplo, deveriam ser fechadas. A medida impactaria cerca de 1200 estabelecimentos viçosenses que já foram fiscalizados e estão autorizados a funcionar por cumprirem as medidas técnicas e sanitárias de controle da doença.

Segundo o Secretário de Saúde, Marcus Schitini, em relação às demais cidades da região Leste do Sul, “Viçosa tem circunstâncias favoráveis para mantermos as atividades econômicas já liberadas: os números atuais são de 56 casos, nenhuma morte confirmada e uma taxa de apenas 4% de ocupação de leitos, todos clínicos. A capacidade hospitalar exclusiva pra Covid-19 é de 67 leitos, entre clínicos e UTI”, afirma.

Nas outras cidades das microrregiões, os boletins epidemiológicos recentes apontam que Manhuaçu tem 172 casos confirmados, incluindo 5 óbitos. E em Ponte Nova, são 68 casos, incluindo uma morte confirmada. A taxa de ocupação de leitos é de 37% dos 47 leitos exclusivos para Covid-19.

Sem novas reaberturas

Uma vez que as atividades comerciais já liberadas pelo município não serão interrompidas, a Prefeitura adotou uma medida preventiva para evitar um pico repentino de casos confirmados: somente a partir do dia 21 de julho novas demandas por reaberturas de setores econômicos serão avaliadas.

A medida técnica evita a propagação do vírus e garante o controle da doença por parte do município. A decisão foi aprovada de forma unânime pelos membros do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES-Viçosa), em reunião realizada na manhã desta sexta-feira (26).

Realização de eventos Drive-in

O COES-Viçosa também aprovou o início de estudos técnicos para a realização de eventos “drive-in”, em que espectadores podem assistir a espetáculos, filmes e eventos religiosos de dentro do carro, em uma grande área aberta. Será elaborado um protocolo para a realização segura desse tipo de evento, com base em normas de biossegurança.

Para o infectologista membro do COES-Viçosa e do Conselho Técnico, Dr. Alex Simiqueli, a autorização para esse tipo de atividade representa um avanço: “conseguimos, com as medidas implementadas em Viçosa, um grau de controle que nos permite discutir nesse momento a realização de eventos com este formato. O ‘drive-in’ pode ajudar a lidar melhor com todas as restrições que a Covid-19 nos tem imposto”.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo