fbpx
CidadeSaúde & Bem Estar

Viçosa receberá mais de R$ 8 milhões da União para enfrentamento ao coronavírus

Valores foram divulgados por meio da portaria que foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) na quarta-feira (1º) e serão repassados pelo Governo Federal.

As regiões da Zona da Mata e Campo das Vertentes vão receber mais de R$ 130 milhões em transferência de recursos financeiros do Governo Federal para enfrentamento ao coronavírus. Os valores foram divulgados por meio de portaria, publicada no Diário Oficial da União (DOU) na quarta-feira (1º).

Os recursos financeiros correspondem ao montante de R$ 13,8 bilhões que serão disponibilizados aos estados, Distrito Federal e municípios, em parcela única.

Entre os municípios que vão receber as maiores quantias nas regiões estão ainda Viçosa, com mais de R$ 8 milhões; Cataguases, com R$ 5,8 milhões e Muriaé, com cerca de R$ 4,8 milhões.

Confira quanto cada cidade da microrregião receberá:

Coimbra – R$ 441.810,00

Ervália – R$ 1.604.262,00

Guiricema – R$ 636.175,00

Muriaé – R$ 4.805.948,00

Paula Cândido – R$ 1.198.320,00

Piranga – R$ 1.660.590,00

São Geraldo – R$ 989.589,00

Senador Firmino – R$ 734.422,00

Ubá – R$ 2.594.094,00

Viçosa – R$ 8.158.874,00

Visconde do Rio Branco – R$ 1.998.732,00

Repasse

Os recursos serão destinados ao custeio das ações e serviços de saúde e podem abranger a atenção primária e especializada, a vigilância em saúde, a assistência farmacêutica, a aquisição de suprimentos, insumos e produtos hospitalares.

Também poderá ser usado para o custeio do procedimento de Tratamento de Infecção pelo novo coronavírus e para a definição de protocolos assistenciais específicos para o enfrentamento à pandemia.

De acordo com a portaria, os valores foram adquiridos por meio de abertura de crédito especial para o Ministério da Saúde. Para a distribuição dos recursos financeiros aos municípios foram adotados critérios como a faixa populacional, com base na população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o Tribunal de Contas da União (TCU) em 2019.

Também foram considerados, segundo a portaria, valores de produção de média e alta complexidade registrados nos Sistemas de Informação Ambulatorial e Hospitalar do Sistema Único de Saúde (SUS) de 2019 e os valores relativos ao Piso de Atenção Básica (PAB) no exercício de 2019.

Fonte: G1.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo