fbpx
Cidade

Prefeito institui comissão para tratar de recuperação econômica

Comissão vai buscar estabelecer diretrizes para geração de emprego e renda

O prefeito Ângelo Chequer instituiu a Comissão Especial de Assuntos Econômicos (CEAE). O objetivo é auxiliar o poder Executivo na tomada de decisões relacionadas ao fomento da economia local e amenização dos impactos negativos causados pela pandemia do coronavírus. A comissão vai buscar estabelecer diretrizes e sugerir medidas para geração de emprego e renda no município. Além disso, pretende promover estudos sobre as potencialidades e vocação da economia local e formular diretrizes para o estabelecimento de políticas de incentivos fiscais e tributários.
Fazem parte da comissão: o vice-prefeito Arnaldo Andrade como presidente; a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Ivone de Barros; a Secretária Municipal de Fazenda, Simone Viana; a Secretária de Finanças, Eloísa Duarte. Além deles, a comissão é composta por representante da Câmara dos vereadores, da Casa  do Empresário, da Universidade Federal de Viçosa, da Univiçosa e do SEBRAE. A nomeação foi oficializada por meio da Portaria 303/2020 e publicada no decreto municipal nº 5497/2020.
Para o presidente da comissão, vice-prefeito Arnaldo Andrade, as ações serão úteis agora e no futuro: “infelizmente essa pandemia não foi a primeira e nem deve ser a última. Cabe à sociedade organizada somar esforços para restabelecer a atividade econômica de forma a garantir os serviços em momentos de instabilidade”, afirma.
Segundo o prefeito Ângelo Chequer, as medidas técnicas e sanitárias adotadas desde março para controlar o avanço da doença no município são eficientes. Paralelamente às ações de saúde pública, as orientações da CEAE serão consideradas: “os números mostram que tomamos as medidas corretas no combate à Covid-19 no município. Agora, investiremos também em um trabalho buscando a recuperação da nossa economia”, afirma.
 
Autorizações de comércio
As vistorias para a reabertura dos estabelecimentos comerciais começaram no dia 16 de abril. Equipes de fiscais da prefeitura, vigilância sanitária e engenheiros receberam 2.225 solicitações pelo site para a realização de visita técnica. Para funcionarem durante a pandemia, os estabelecimentos e serviços devem seguir as normas previstas no decreto municipal nº 5.450/2020 para proteger trabalhadores e consumidores.
Pouco mais da metade dos pedidos são de prestadores de serviços, seguidos pelo setor varejista em geral (roupas, calçados, acessórios, etc). Na sequência, estabelecimentos do ramo de alimentação e de natureza diversa, cuja especificidade não consta nas opções do sistema de cadastro.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo