fbpx
Saúde & Bem EstarUFV

Quartos adaptados em alojamentos estão entre as ações de acessibilidade realizadas pela Pró-Reitoria de Administração

A UFV vem promovendo, de maneira crescente, a acessibilidade em seus três campi, adaptando seus espaços e edificações com o objetivo de oferecer maior segurança à comunidade e também autonomia às pessoas com deficiência. Um exemplo que revela esse cuidado são os dois quartos da moradia estudantil conhecida como “Alojamento Novíssimo”, do campus Viçosa, recentemente reformados pela Pró-Reitoria de Administração (PAD).

Localizados no andar térreo, um deles foi adaptado para atender estudantes com deficiência visual e o outro para alunos com dificuldades de locomoção ou que utilizem cadeira de rodas. Com 40m², o quarto para deficiente visual poderá receber dois moradores. Já o outro, com 80m², poderá ser compartilhado por três estudantes. Além de banheiro e cozinha, os quartos contam com móveis especificamente projetados para que seus moradores tenham a maior autonomia possível. Os projetos e a execução deles foram uma parceria entre a PAD e as pró-reitorias de Assuntos Comunitários e de Extensão e Cultura. A escolha pelo “Novíssimo” se deve ao fato de esta moradia estar localizada na região central do campus universitário, o que facilita o deslocamento dos estudantes.

A instalação de elevadores nos edifícios dos campi é outra ação que revela o cuidado da Universidade com a mobilidade interna e o cumprimento do Decreto-lei 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Ano passado, por exemplo, foi realizado um Registro de Preços para a aquisição de 10 elevadores. Seis deles atenderão o campus Florestal: dois serão instalados na Biblioteca e quatro no Edifício de Laboratórios e Salas de Aula. O campus Rio Paranaíba receberá quatro para o Prédio de Laboratórios de Ensino.

A preocupação com a acessibilidade também se estende ao ambiente externo. No campus Viçosa, novas faixas elevadas para a travessia de pedestres estão sendo instaladas, assim como novas rampas de acesso aos edifícios. Em muitos casos, essas rampas estão mais próximas às vagas de estacionamento para deficientes. Também têm sido implementados projetos de rotas acessíveis, que priorizam o pedestre em vez dos veículos. A Pró-Reitoria de Administração está trabalhando ainda na comunicação, sinalização e indicação do campus Viçosa. O projeto que está em desenvolvimento inclui instalação de placas com escritos em braile e de piso tátil de alerta e direcional.

Diferentemente de Florestal e Rio Paranaíba, cujos campi universitários são mais recentes, o campus de Viçosa, com mais de 90 anos de história, tem muitos edifícios antigos, inaugurados bem antes da norma técnica NBR 9050/2015, que estabelece critérios e parâmetros para projeto, construção, instalação e adaptação de edificações às condições de acessibilidade. Por isso, muitas vezes, é necessário um redesenho completo de sua planta para que ganhem acessibilidade, o que demanda grande investimento.

Uma das reformas que já estão na fila para começar é a de adaptação do edifício Fábio Ribeiro Gomes, inaugurado na década de 1960. Ali funcionam, atualmente, o curso de graduação de Comunicação Social, a Diretoria de Comunicação Institucional (DCI) e a Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI). A obra prevê, dentre outras ações, a construção de novos banheiros e de duas torres para abrigar dois elevadores. É mais um projeto de adaptação para acessibilidade e mobilidade que a UFV colocará em prática para melhor atender à comunidade.

Fonte: UFV.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo