fbpx
Cidade

Vereadores discutem sobre o rodízio de CPF

Novamente entre os debates da Câmara, o rodízio de CPF adotado pelo Município ganhou destaque na
pauta da reunião Ordinária desta terça-feira (25). Questionado quanto à sua eficiência no atual cenário de
contenção da Pandemia em Viçosa, a Casa Legislativa encaminhou para o Executivo de Viçosa, por meio
de uma indicação assinada por todos os vereadores, a substituição ou reformulação do sistema.

A Indicação nº 285, de autoria do Vereador Helder Evangelista (Cherinho) (PSL), que solicita o
cancelamento ou a alteração de dias do rodízio de CPF, ganhou força no plenário nesta semana, sendo
consentida por todos os parlamentares presentes. Conforme reforçou Helder, “esse sistema, agora, só
tem prejudicado o comércio da cidade, além de não estar sendo eficaz como medida de distanciamento
social no enfrentamento do Coronavírus (COVID-19)”.

Em consentimento e preocupação com a economia de Viçosa, que já se encontra a quase 150 dias em
crise com a falta de planejamento no setor comercial no período de pandemia, o Vereador Geraldo Luís
(Geraldão) (Avante) reforçou a falta de parceria que está ocorrendo entre o poder público e o setor
empresarial. “Infelizmente ainda temos comércios recebendo taxas de lixo para pagar e o Executivo não
tomou medida alguma para afrouxar a situação, outro descaso similar ao que vem acontecendo com o
CPF, que já não é viável para a fase em que nos encontramos e só tende a prejudicar as empresas da
cidade”, disse Geraldão.

Outra ponderação, que agrava mais a situação, trazida por Carlitos Alves (Meio Kilo) (PSDB), foi no que
diz respeito ao horário limitado para o atendimento de idosos em lotéricas. “É um período muito restritivo
para essa faixa etária, além de acumular uma parcela tão vulnerável da pandemia em um dos períodos
mais movimentados do dia fora do estabelecimento”, afirmou o parlamentar.

O Presidente da Casa Legislativa, o Vereador Antônio Elias Cardoso (PODE), enfatizou que o principal
objetivo do CPF no início da pandemia era evitar o fluxo de pessoas nas ruas, mas que agora sua
eficiência está bem baixa, servindo apenas para limitar o comércio local. Além do mais, Antônio Elias
questionou a falta de diálogo na administração do Executivo, que está sendo reflexo nos problemas
econômicos de Viçosa atualmente. Por fim, confirmou, assim como seu colega parlamentar, o Vereador
Arlindo Antônio (Montanha) (PSDB), que o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES)
reunirá dia 4 de setembro, sendo o CPF uma das principais pautas da reunião.

Fonte: Câmara de Viçosa.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo