fbpx
Saúde & Bem Estar

Projeto que coloca bactéria em ovos do ‘Aedes aegypti’ quer reduzir dengue e outras doenças

A partir de setembro, Belo Horizonte recebe um estudo pioneiro para reduzir a transmissão de dengue, zika e chikungunya. É o projeto “Evita Dengue”, em que a bactéria Wolbachia é introduzida em ovos de mosquitos Aedes aegypti.

Wolbachia é uma bactéria intracelular presente em 60% dos insetos, mas não é encontrada no Aedes aegypti. Ela é capaz de impedir que os vírus das doenças transmitidas pelo mosquito se desenvolvam dentro dele, contribuindo para redução de casos.

O método libera Aedes aegypti com a bactéria para que se reproduzam, estabelecendo-se, assim, uma nova população dos insetos, todos com Wolbachia. Os pesquisadores afirmam que não há modificação genética no processo.

O líder do Método Wolbachia no Brasil, Luciano Moreira, disse que o estudo para controlar essas doenças já foi implementado por pesquisadores do World Mosquito Program (WMP) em 12 países.

Ainda segundo ele, os testes seguem em 2021, 2022 e 2023. “Uma vez por semana, por 16 semanas, faz a liberação dos mosquitos com Wolbachia”, explicou.

Fonte: G1.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo