fbpx
Minas GeraisSaúde & Bem Estar

Macrorregiões da Zona da Mata não têm alteração e Viçosa pode avançar para Onda Verde

As macrorregiões SudesteCentro Sul e Leste do Sul, que são compostas por municípios da Zona da Mata e Campo das Vertentes, seguem na Onda Amarela do programa Minas Consciente. A decisão foi anunciada na tarde de quarta-feira (9), pelo governo de Minas Gerais, após mais uma reunião semanal. Toda as mudanças informadas na reunião começam a valer a partir do sábado (12).

Já as microrregiões que envolvem as cidades de Barbacena, São João del Rei, Muriaé, Além Paraíba, Santos Dumont e Viçosa foram consideradas aptas a avançar pra a Onda Verde do programa, que permite a reabertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio. E a microrregião de Ubá foi a única da Zona da Mata e Vertentes que regrediu na classificação do estado e foi inserida na Onda Vermelha após aumento no número de casos de Covid-19.

Lembrando que, apesar da classificação por microrregião, a decisão de avançar ou regredir para uma onda cabe a cada Prefeitura. (Veja abaixo sobre a situação das microrregiões).

Ainda na reunião de quarta-fira, o Estado também autorizou o funcionamento de atividades e parques estaduais em regiões classificadas na Onda Amarela.

Macrorregiões

 

São 112 cidades da Zona da Mata e do Campo das Vertentes que aderiram ao Programa Minas Consciente. Estes municípios estão divididos em três macrorregiões: SudesteCentro-Sul e Leste do Sul.

Desde agosto, estas macrorregiões estão inseridas na Onda Amarela e, com a decisão do Comitê Estadual nesta quarta-feira (9), seguem por mais 7 dias nesta etapa.

Segundo o Governo de Minas, essas regiões apresentaram índices favoráveis para manter a abertura de serviços não essenciais, contemplados pela Onda Amarela, como bares, lojas de roupas e calçados, autoescolas, salões de beleza, lojas de móveis, academias de ginástica (com restrições) e outros.

O Comitê Estadual também anunciou a autorização de funcionamento de atividades culturais e parques estaduais na Onda Amarela. Assim, museus, galerias bibliotecas, parques e unidades de conservação poderão funcionar desde que sigam o mesmo protocolo de segurança estipulado para academias de ginástica.

De acordo com o Estado, a autorização foi concedida após avaliação das demandas e a possibilidade de adaptação sanitária dos setores para garantir a segurança do público.

“Já estamos observando um cenário mais controlado da pandemia em Minas Gerais e, com isso, será possível liberarmos algumas atividades. Agora, as macrorregiões que estiverem na onda amarela poderão retomar parcialmente as atividades culturais “, afirmou o governador Romeu Zema (Novo).

 

Microrregiões

 

Em agosto, o programa Minas Consciente foi reformulado e passou a considerar os dados de 67 microrregiões do Estado, permitindo que elas sejam divididas por ondas, considerando as especificidades de cada local, sistema público de saúde e número de casos de coronavírus.

Contudo, caso uma microrregião esteja em uma onda diferente da definida para a macrocaberá ao prefeito decidir qual diretriz seguir.

Nesta atualização, as microrregiões de Barbacena, São João del Rei, Muriaé, Viçosa, Santos Dumont e Além Paraíba foram consideradas aptas para avançarem para a Onda Verde após melhora nos índices. Esta é a última etapa do programa e permite a abertura de clubes, cinemas e estúdios de piercings e tatuagens, entre outros serviços.

A reportagem procurou as prefeituras destas cidades, que são municípios considerados como polo das microrregiões, para saber se irão avançar ou não no programa estadual. Veja:

  • Em nota, a Prefeitura de Muriaé afirmou que o Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 irá avaliar, com bases nos números atuais da Covid-19, se a cidade permanece na Onda Amarela ou avança para a Verde. A reunião deverá ocorrer na próxima semana.
  • A Prefeitura de São João del Rei confirmou ao G1 que a cidade avança para a Onda Verde. Um decreto municipal foi publicado nesta quinta-feira (10) oficializando a progressão.
  • Já a Prefeitura de Barbacena informou que ainda não tem informações sobre o avanço para a Onda Verde ou a permanência na Onda Amarela.
  • A Prefeitura de Santos Dumont informou que haverá uma reunião do Comitê Municipal da Covid-19 para deliberar sobre o assunto.
  • G1 tentou contato com a prefeitura de Além Paraíba, mas não obteve retorno até a última atualização desta matéria.
  • Já a Prefeitura de Viçosa não aderiu ao programa Minas Consciente e segue determinações próprias sobre funcionamento do comércio, serviços e outros durante a pandemia de coronavírus.

 

Onda Vermelha

Também nesta reunião, o Estado avaliou que a microrregião de Ubá teve piora nos índices e foi classificada na Onda Vermelha, que permite apenas o funcionamento dos serviços essenciais. A reportagem procurou a Prefeitura, que informou que está verificando a situação.

Onda Amarela

As outras microrregiões, que são Juiz de Fora/Lima Duarte/São João Nepomuceno/BicasLeopoldina/Cataguases e Carangola seguem na classificação da Onda Amarela.

Entenda o que são as Ondas

 

Veja abaixo detalhadamente quais serviços podem funcionar em cada categoria, segundo o governo de Minas Gerais.

Onda Vermelha

As macrorregiões de saúde Triângulo do Norte, Noroeste e Nordeste estão na Onda Vermelha do plano. Nesses locais, está autorizada a abertura dos seguintes serviços:

  • Supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência;
  • Bares (somente para delivery ou retirada no balcão);
  • Açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros;
  • Serviços de ambulantes de alimentação;
  • Farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop;
  • Bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito;
  • Vigilância e segurança privada;
  • Serviços de reparo e manutenção;
  • Lojas de informática e aparelhos de comunicação;
  • Hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões;
  • Construção civil e obras de infraestrutura;
  • Comércio de veículos, peças e acessórios automotores.

 

Onda Amarela

As macrorregiões de Saúde Centro, Vale do Aço, Jequitinhonha, Leste, Oeste, Sul, Centro-Sul, Sudeste e Leste do Sul apresentaram índices favoráveis para a abertura de serviços não essenciais, contemplados pela onda amarela. Nesta fase, são permitidos:

  • Bares (consumo no local);
  • Autoescola e cursos de pilotagem;
  • Salão de beleza e atividades de estética;
  • Comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo;
  • Papelaria, lojas de livros, discos e revistas;
  • Lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem;
  • Comércio de itens de cama, mesa e banho;
  • Lojas de móveis e lustres;
  • Imobiliárias;
  • Lojas de departamento e duty free;
  • Lojas de brinquedos;
  • Academias (com restrições);
  • Agência de viagem;
  • Clubes;
  • Bibliotecas, museus, galerias, arquivos (com restrições).
  • Parques estaduais, unidades de conservação, zoológicos e jardins (com restrições).

 

Onda Verde

As macrorregiões Norte e Triângulo do Sul apresentou um quadro controlado da doença após passar 28 dias na onda amarela, o que permitiu o avanço para a onda verde, que permite a abertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio. São eles:

  • Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo;
  • Cinemas, bibliotecas, museus, arquivos;
  • Parques, zoológicos e jardins;
  • Feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê;
  • Parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca;
  • Bares com entretenimento (shows e espetáculos);
  • Serviços de colocação de piercings e tatuagens.

 

Para avançar para a onda verde, as cidades precisam estar há 28 dias consecutivos na onda amarela, sem sofrer retrocessos durante esse período.

Fonte: G1.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo