fbpx
UFV

Convênio entre UFV e Ministério Público do Trabalho garante recursos para ampliação de vagas em moradia estudantil do campus Viçosa

Após uma ampla negociação, envolvendo reitoria, pró-reitorias e Ministério Público do Trabalho, ficou confirmado que a UFV receberá cerca de R$ 2 milhões para a ampliação de vagas para alunos em vulnerabilidade socioeconômica nas moradias estudantis. Essa ampliação se dará por meio de uma reforma no “Alojamento Velho” do campus Viçosa, desativado desde 2018 por problemas que colocam em risco a sua segurança.

Os recursos para a obra virão do repasse de multas trabalhistas decorrentes de uma ação por danos morais coletivos movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em desfavor da Samarco, pelo rompimento da barragem do Fundão, em 2015, na cidade de Mariana (MG). A confirmação do repasse foi publicada, esta semana, no Diário Oficial, como “extrato de convênio”, pela Procuradoria Regional do Trabalho (PRT) da 3ª Região. No extrato, está previsto que a reforma deverá ocorrer até 2022, conforme termo assinado pelo reitor Demetrius David da Silva, o procurador-chefe da PRT da 3ª Região, Arlélio de Carvalho Lage, e o presidente da Fundação Arthur Bernardes (Funarbe), Rodrigo Gava, que fará a gestão dos recursos.

A reativação do “Alojamento Velho” possibilitará à Universidade oferecer aos estudantes em vulnerabilidade socioeconômica mais 176 vagas de moradia. Elas irão se juntar às 1.114 atualmente ofertadas pelos outros cinco espaços do campus, tradicionalmente conhecidos como alojamentos “Feminino”, “Novo”, “Novíssimo”, “Pós” e “Posinho”. Associado a este fato, a reforma tem também um importante valor afetivo, já que representa a recuperação de um símbolo histórico da assistência estudantil na UFV. O “Alojamento Velho” foi inaugurado como moradia em 1928, dois anos após a criação da Universidade.

Negociação

Para a obtenção dos recursos, a UFV participou de uma complexa discussão, que, além do MPT e da PRT da 3ª Região, também envolveu outras universidades, prefeituras, sindicatos e movimentos sociais atuantes na jurisdição da Vara do Trabalho de Ouro Preto. Toda a negociação, iniciada em janeiro deste ano, foi coordenada pelo pró-reitor de Extensão e Cultura, José Ambrósio Ferreira Neto. Ele explica que, internamente, também houve um amplo trabalho, envolvendo um plano de ações construído coletivamente pelas pró-reitorias.

Além do repasse para a reforma do “Alojamento Velho”, a negociação com o MPT também resultou, segundo o pró-reitor, na obtenção de recursos para a produção de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), por meio de um projeto que será coordenado pelo Departamento de Medicina e Enfermagem. Ela gerou ainda o lançamento de editais. Um deles, publicado pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, voltado à geração de trabalho e renda e ao enfrentamento à Covid-19, selecionou 10 projetos apresentados pela comunidade universitária que receberão R$350 mil.

Também, de acordo com o professor Ambrósio, em breve será publicado um edital conjunto de extensão com interface em pesquisa, que envolverá a UFV e outras universidades. Ele está em fase final de ajustes e irá disponibilizar R$2 milhões.

Assistência estudantil

Os recursos obtidos pela UFV para a reforma do “Alojamento Velho” demonstram, de acordo com a pró-reitora de Assuntos Comunitários, Sylvia do Carmo Castro Franceschini, uma sensibilidade muito grande do reitor Demetrius David da Silva e da vice-reitora Rejane Nascentes. “Eles poderiam investir os recursos em tantas outras demandas da Universidade, mas priorizaram a assistência estudantil. “A gente fica muito agradecida e emocionada”.

A pró-reitora lembra que a reforma do “Alojamento Velho” irá se somar a um conjunto de ações que vem sendo colocado em prática pela atual administração da Universidade na área de assistência estudantil. Segundo ela, estão previstas, dentre outras, reformas no subsolo do “Alojamento Feminino”, instalação de lavanderias no “Novíssimo” e intervenções no andar térreo do “Pós” e “Posinho” para a criação de salas de estudo e de convivência, além de mudanças nas portarias e fachadas.

Destaca-se, também, a reforma nos três “Hiltons”, localizados no “Pós” e “Posinho”, que possibilitará atender melhor os estudantes do curso de Licenciatura em Educação do Campo e dos campi de Florestal e Rio Paranaíba, bem como os participantes de eventos promovidos pela UFV, como a Semana do Fazendeiro. Estão programadas ainda a manutenção do campo de futebol society e a pintura das quadras. Vale ressaltar que todas essas intervenções não serão realizadas com os recursos do Ministério Público do Trabalho, destinados apenas à reforma do “Alojamento Velho”.

As iniciativas, conforme o reitor, revelam o compromisso da administração em oferecer moradias de qualidade aos estudantes em vulnerabilidade socioeconômica. Segundo ele, nunca foram investidos tantos recursos na assistência estudantil como agora. “Isso comprova nossa preocupação com a qualidade de vida dos estudantes, e nosso entendimento de que as moradias estudantis cumprem um papel importante de acolhimento. Sem falar que possibilitam a vivência integral dos estudantes no campus universitário”.

 

Divulgação Institucional

Fonte: UFV.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo