fbpx
UFV

Pesquisadoras da UFV lideram estudo pioneiro sobre qualidade da avaliação genética de gado Girolando

A iniciativa é parte de um projeto maior de avaliação genética e genômica do Girolando, coordenado pela Embrapa Gado de Leite, em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores, UFV e Universidade de Wageningen.

A avaliação genética do gado Girolando, raça de gado responsável por, aproximadamente, 80% do leite produzido no país, ganhou um reforço graças a um estudo pioneiro liderado por pesquisadoras da Universidade Federal de Viçosa (UFV)

Atualmente, o Brasil é o terceiro maior produtor de leite do mundo e, nesse cenário, em que o gado Girolando se destaca, o estudo, realizado em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Embrapa Gado de Leite e com a universidade holandesa de Wageningen – disponibilizou conhecimentos sobre o genoma da raça com o objetivo de proporcionar uma seleção de animais mais produtivos e cruzamentos mais rentáveis para os criad

ores.

Reunidos em um artigo Single-step genome-wide association studies (GWAS) and post-GWAS analyses to identify genomic regions and candidate genes for milk yield in Brazilian Girolando cattle, publicado pelo Journal of Dairy Science, os estudos se destacam em um dos principais periódicos de pesquisas sobre laticínios.

O trabalho, desenvolvido no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, pela então doutoranda Pamela Itajara Otto, com a orientação da professora Simone Eliza Facioni Guimarães – trata da incorporação de informações genômicas (hereditárias, em uma linguagem simplificada), correspondentes a características consideradas economicamente importantes, na avaliação genética do gado.

Originado no Brasil, na década de 1940, a partir do cruzamento das raças Gir e Holandesa, o Girolando é reconhecido principalmente pela produção de leite unida à adaptabilidade ambiental e está presente em todo o Brasil.

Para aprimorar seu desempenho, os criadores contam com um programa de melhoramento genético que oferece, entre outros serviços, o teste de progênie – por meio do qual selecionam machos reprodutores a partir da capacidade de produção de leite das fêmeas descendentes deles. O aperfeiçoamento das avaliações genéticas utilizando informações genômicas, no entanto, é mais recente.

Basicamente, o trabalho propõe conhecer as proporções em que as informações genômicas das raças Gir e Holandesa estão presentes em cada animal Girolando, de maneira a direcionar a avaliação, seleção e o melhoramento genético do gado.

O foco, como elas explicam, está sobretudo no aprimoramento da robustez, da adaptabilidade à condição de alta temperatura e da resistência a parasitas herdadas da raça Gir e da grande capacidade de produção de leite herdada da raça Holandesa.

“A busca por animais adaptados às diferentes regiões brasileiras é muito importante para o sucesso da produção de leite. Em outros países, como a Holanda, as condições climáticas são mais favoráveis, permitindo a criação da raça Holandesa, exigente ambiental e nutricionalmente, não sendo necessária a criação de animais cruzados em busca da adaptação”, explicou Pâmela.

Também assinam o artigo os pesquisadores Mario Calus e Jeremie Vandenplas, da Universidade de Wageningen, além de Marco Machado, João Cláudio Panetto e Marcos Vinícius da Silva, da Embrapa Gado de Leite.

Pioneirismo

 

Um dos pontos principais, de acordo com a primeira autora do artigo, que atualmente é pós-doutoranda vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, é o pioneirismo da aplicação da metodologia BOA, desenvolvida pela Universidade de Wageningen para o melhoramento genético de suínos e aves originados de cruzamentos.

Os resultados mostram como a variação de produção de leite entre animais da raça Girolando está relacionada à raça de origem dos genes alelos correspondentes a tal atributo.

Em uma analogia, é como a variação de cores dos olhos dos filhos, determinada por diferentes combinações de informações genômicas transmitidas pelos pais, por exemplo.

Ter estas informações é de extrema importância para tanto para o programa de melhoramento genético do Gir quanto para o do Girolando, pois a intensificação da seleção genética do Gir pode contribuir para um melhor desempenho da produção leiteira e maior progresso genético do Girolando, além de maior rentabilidade aos produtores, explicou Pâmela

Pamela destacou também que o estudo apresenta sete genes importantes para a produção de leite e sólidos, entre outros atributos.

“A seleção baseada nestes genes pode contribuir para a identificação de animais mais saudáveis e com melhor desempenho produtivo”. Os dados são são úteis “para direcionar o acasalamento e a escolha do sêmen, trazendo melhores resultados aos produtores”.

A iniciativa é parte de um projeto maior de avaliação genética e genômica do Girolando, coordenado pela Embrapa Gado de Leite, em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores, UFV e Universidade de Wageningen.

Fonte: G1.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo