fbpx
Saúde & Bem EstarUFV

UFV se reúne com representantes de Viçosa e da equipe de gestão eleita no município para alinhar ações durante pandemia

A fim de alinhar a continuidade das ações de apoio a Viçosa durante a pandemia da Covid-19, a administração da UFV se reuniu com representantes da cidade e, pela primeira vez, com o prefeito e o vice-prefeito eleitos no município – respectivamente Raimundo Nonato Cardoso e Luiz José de Arruda Alves (“Tilu”). A reunião aconteceu na tarde desta quinta-feira (26) e foi presidida pelo reitor Demetrius David da Silva.

A atuação da Universidade juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde na elaboração dos planos de contingenciamento da Covid-19 foi elogiada por unanimidade. A instituição foi uma das primeiras, dentre as universidades federais, a buscar estratégias para enfrentar a pandemia; isso em fevereiro, antes mesmo do primeiro caso da doença ser confirmado no Brasil. A parceria entre UFV e Viçosa, como comentado pelos participantes da reunião, é essencial para o cuidado da população.

Dentre as inúmeras realizações da Universidade, foram lembrados principalmente o serviço Telessaúde Covid, que qualificou o teleatendimento de pessoas com sintomas da Covid-19; a adaptação da Unidade de Atenção Especializada em Saúde para o atendimento de pacientes com suspeita da doença e o credenciamento de seis laboratórios – cinco do campus de Viçosa e um do campus de Rio Paranaíba – para realizar testes de detecção do novo coronavírus. Graças aos recursos investidos pela UFV e recebidos da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, além da dedicação voluntária e incansável de servidores e estudantes da instituição, os laboratórios já analisaram cerca de 28 mil amostras. Os materiais foram enviados por 128 municípios, o que representa o atendimento gratuito de uma população de aproximadamente 1,7 milhão de habitantes.

Em meio às questões apresentadas pela pandemia, Demetrius destacou a importância do trabalho em conjunto para a construção das soluções. Neste final de ano, em que o número de casos confirmados da doença está aumentado e o balanço do número de leitos clínicos e de UTI ocupados tem chamado a atenção na região, o diálogo deve ser mantido como estratégia, segundo ele. Diante do prefeito e do vice-prefeito eleitos, o reitor reforçou o compromisso da Universidade com o município: “é essencial que todos os gestores se envolvam de corpo e alma na área da saúde, agindo com responsabilidade, respeitando a ciência e jamais praticando o negacionismo”. Mas para que a parceria continue com bons resultados, Demetrius ressaltou que é preciso planejar.

Essa organização se mostra ainda mais valiosa em um cenário que inclui a aproximação da troca da administração municipal. Esperar pela vacina não é uma opção, como o reitor afirmou. Ele e a vice-reitora Rejane Nascentes, aliás, convidaram dois pesquisadores da instituição para contribuírem com dados sobre o avanço da pandemia e o alinhamento das ações.

O professor Silvio da Costa Ferreira Junior, que coordena o Grupo de Investigação de Sistemas Complexos do Departamento de Física, foi um deles. Ele mostrou como vem utilizando os números da pandemia para projetar cenários possíveis para Viçosa, de maneira a embasar as tomadas de decisão. De acordo com Silvio, agora é preciso manter a atenção e as ações em sintonia com as pequenas alterações verificadas localmente e na região para que o controle da pandemia observado no município até o momento não seja perdido.

As situações das cidades do entorno de Viçosa, por exemplo, são preocupantes. Segundo o professor Francisco Murilo Zerbini Junior, que coordena os laboratórios que realizam testes de detecção do novo coronavírus, enquanto a taxa de resultados positivos dentre as amostras de Viçosa é de 5,3%, a taxa de Ponte Nova (MG) é de 53% – os dados foram coletados um dia antes da reunião. Os testes, conforme ele, são muito importantes para o rastreamento e isolamento de pessoas infectadas e que podem transmitir a doença. Parcerias que deem continuidade aos investimentos nessa ação, assim como em muitas outras, são fundamentais.

Nesse primeiro contato com o prefeito e o vice-prefeito eleitos, portanto, todos concordaram o quanto o envolvimento de uma equipe de transição é fundamental para dar prosseguimento ao que já foi realizado. Dois integrantes dessa equipe, inclusive, acompanharam a reunião: Júlio César de Abreu Cotta e Sérgio Martins.

Da Universidade, também contribuíram a pró-reitora de Assuntos Comunitários, Sylvia do Carmo Castro Franceschini; o assessor de Saúde da Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários, Bruno David Henriques; a chefe da Divisão de Saúde (DSA), Marisa Correia, e o infectologista da DSA, Alex Simiqueli.

Como representantes da Prefeitura Municipal de Viçosa estiveram a superintendente de Gestão Pública e Governança, Nazildes Gonçalves de Almeida, e o secretário de Saúde, Marcus Antônio Schitini. Ainda compareceram o coordenador das promotorias de Justiça de Viçosa, Luís Cláudio Magalhães; o diretor administrativo do Hospital São João Batista, Sérgio Pinheiro, e a diretora administrativa do Hospital São Sebastião, Ildamara Menezes.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo