fbpx
UFV

UFV aprova novo projeto no Programa de Residência Profissional do Ministério da Agricultura

A UFV aprovou mais uma proposta na chamada pública do Programa de Residência Profissional Agrícola (AgroResidência) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O projeto intitulado Residência Profissional em Agronomia, Engenharia Agrícola e Ambiental e Engenharia de Alimentos vem se juntar às outras duas propostas da instituição que já haviam sido aprovadas no edital nº 01/2020 do Mapa. Com isso, a UFV se destaca como a universidade da região Sudeste com mais projetos aprovados na primeira edição do Programa.

Coordenado pelo professor Luís César da Silva, do Departamento de Engenharia Agrícola (DEA), o projeto envolverá cerca de R$ 290 mil. A maior parte dos recursos será destinada à concessão de bolsas a formandos e recém-formados, a priori, dos cursos de Agronomia, Engenharia Agrícola e Ambiental e Engenharia de Alimentos da UFV. Contudo, como a condução do projeto é dinâmica, o professor explica que outros cursos das ciências agrárias poderão ser envolvidos.

Segundo Luís César, o projeto será executado em duas etapas de 12 meses. Em cada uma delas serão selecionados sete bolsistas residentes, que farão treinamentos práticos, supervisionados e orientados por meio de parceria entre a UFV e a Cooperativa do Sul-Mato-Grossense (Copasul), unidade residente. A seleção dos bolsistas se dará por meio de um edital, também com duas etapas. A primeira delas executada pela coordenação do projeto e a segunda por técnicos da unidade residente, que serão os supervisores do estágio.

O professor lembra que este é o primeiro ano dessa modalidade de edital lançado pelo Mapa, que visa facilitar a inserção de formandos e recém-formados (até um ano) das ciências agrárias e áreas correlatas no mercado de trabalho do agronegócio brasileiro em suas diferentes dimensões – pequenos, médios e grandes produtores, empresas e cooperativas. Em sua opinião, por meio desse estágio de residência, os futuros profissionais do agronegócio terão a oportunidade de aprimoramento técnico e desenvolvimento de habilidades no ambiente de trabalho.

O pró-reitor de Extensão e Cultura da UFV, José Ambrósio Ferreira Neto, destaca a qualidade do projeto aprovado pelo Mapa e a capacidade dos cursos e docentes da Universidade em estabelecer parcerias com instituições e empresas. Um exemplo é o intercâmbio técnico e científico entre a UFV e a Copasul que, conforme o professor Luís César, “data de anos, por meio do DEA e do Centro Nacional de Treinamento em Armazenagem (Centreinar)”.

Fonte: UFV.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo