fbpx
UFV

Colação de grau remota celebra 50 mil alunos formados na UFV

Pela tela do canal da UFV no YouTube não dava para ver, ao vivo, os rostos dos 519 formandos que colaram grau nesta cerimônia de formatura tão diferente. Nem os rostos de seus pais e amigos que sonharam tanto com este dia especial. Mas dava para imaginar a festa e a alegria enchendo as casas destas tantas famílias, por realizarem o sonho de terem seus filhos formados pela Universidade Federal de Viçosa. Essa foi a segunda colação de grau remota por causa da pandemia e envolveu alunos dos três campi, formandos em 59 cursos de graduação. Mas esta cerimônia foi ainda mais especial. pois celebrou a marca de 50 mil formados com um vídeo sobre os ex-alunos. Isso mesmo: 50 mil profissionais entregues ao mercado de trabalho desde que aconteceu a primeira formatura da UFV, então ESAV, em 1931.

No contador do YouTube, a cerimônia foi visualizada por cerca de 17 mil pessoas e os comentários festivos no chat da transmissão foram incontáveis. No Salão Nobre da UFV estavam somente o reitor Demetrius David da Silva, a vice-reitora Rejane Nascentes, a secretária de Órgãos Colegiados substituta Tatiana de Miranda Costa e a equipe técnica de transmissão. Os pró-reitores, diretores de centros de ciências e demais autoridades dos campi Rio Paranaíba e Florestal estavam em seus ambientes virtuais. As tradicionais apresentações musicais da solenidade foram exibidas em vídeos gravados e devem ter feito muita gente chorar. Na tela, o formando do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas Lucas Eduardo de Oliveira Azevedo fez o juramento. Cada um, em sua casa, foi convidado a ficar em pé, com braços estendidos, para jurar exercer suas profissões com ética e responsabilidade.

A oradora da turma foi a formanda do curso Bacharelado em Ciências Biológicas, Camila Ohana de Souza Queiroz. Em seu discurso, ela lamentou o contexto da pandemia, a distância dos amigos na reta final da graduação, o aprendizado difícil do ensino remoto, as mortes causadas pela covid-19 e a irresponsabilidade dos que agravam a situação, seja pela negação da ciência, espalhamento de fake news ou pela recusa em usar máscaras e manter o distanciamento social. “Essa situação nos convida a repensar nossos hábitos, nosso modo de vida e a abrir mão, pelo menos um pouco, desse imediatismo no qual vivemos e que sobrecarrega nossos recursos naturais. O que mais aprendemos durante os anos de graduação é enfrentar os obstáculos e nos reinventar diante das inúmeras dificuldades. Afinal, a vida fora das quatro pilastras também é assim, cheia de dificuldades e lutas”, disse Camila.

Sobre as saudades deixadas pela Universidade, a oradora destacou: “a UFV nos enche de orgulho por estarmos dentro de uma das melhores universidades do país, por proporcionar troca de experiências com tantas pessoas de diferentes lugares, conhecer culturas de um Brasil multicultural, além de nos abrir portas para muitos estágios e trabalhos”. Aos colegas, desejou que “além da técnica e do conteúdo, saiamos daqui pessoas mais éticas, mais conscientes tanto política quanto socialmente, e com vontade de trabalhar por um planeta melhor para nós e para os nossos vizinhos, e para que ainda deixemos um planeta saudável para as gerações futuras”.

Em seu discurso, o reitor Demetrius David da Silva destacou o valor que a UFV sempre deu aos bons exemplos na formação de seus alunos. “Nestes tempos em que enfrentamos grandes dificuldades e incertezas, tempos em que milhares de vidas humanas foram ceifadas, a UFV foi convocada, mais uma vez, para agir e dar o exemplo de compromisso com os valores morais mais elevados: a solidariedade, a empatia para com os que sofrem, a energia para reagir frente a quaisquer ameaças à preservação das condições de saúde, à integridade e à segurança de todos os membros das comunidades universitária e dos municípios que acolhem os campi da UFV”. Ao comentar as diversas ações que a Universidade empreendeu para combater a pandemia enquanto as aulas estão suspensas, o reitor reiterou: “estamos dando exemplos vivos e efetivos de apreço pela vida humana. Sejam educadores, sejam pessoas que ofertem bons exemplos, pessoas que agem com retidão, com compromisso moral, com responsabilidade intelectual!”.

Ao reafirmar a posição da UFV de valorizar o conhecimento científico, tantas vezes atacado durante a pandemia, o reitor disse que a Universidade reconhece a educação como um processo de afirmação e defesa da vida de toda e qualquer pessoa.  Aos formandos, pais e familiares, ele pediu ajuda na defesa das instituições públicas de ensino superior. “Temos muito a fazer por aqueles que ainda não colaram grau ou por aqueles que vierem a ingressar em nossos campi em Viçosa, Florestal e Rio Paranaíba”, afirmou.

Seguindo o protocolo de sempre, houve a citação dos alunos que se destacaram com os maiores coeficientes de rendimento acumulado entre seus pares e foram merecedores da Medalha Arthur Bernardes. Na colação de grau remota não houve entrega de diplomas, mas, ao ser citado, o rosto de cada formando apareceu na tela para marcar esta data tão especial.

A partir de hoje, os formandos poderão acessar, via sapiens, seus atestados de Colação de Grau autenticados. Aqueles que desejarem, poderão participar da sessão solene da primeira colação de grau que ocorrer de forma presencial, quando cessarem as limitações impostas pela pandemia da covid-19.

Divulgação Institucional

 

Fonte: UFV.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo