fbpx
CidadeSaúde & Bem Estar

Vereadores recebem esclarecimentos sobre planejamento estratégico contra COVID-19

A convite do Vereador Marco Cardoso (Marcão Paraíso) (PSDB), por intermédio do Ofício nº
012/2021, o Secretário Municipal de Saúde, Júlio Cotta, esteve no plenário da Câmara Municipal
na quarta-feira (20) para apresentar e explicar as primeiras ações que o setor vem realizando
na cidade em detrimento da pandemia. Atualmente, a microrregião de Viçosa encontra-se na
zona amarela do Programa Minas Consciente, destoando-se da macrorregião que faz parte em
Minas Gerais, a qual já se encontra tomada pela zona vermelha.

Em justificativa, o Vereador Marco salientou que a Casa Legislativa gostaria de estar ciente das
ações que a Secretaria de Saúde iniciou neste começo de ano, visto que Viçosa tem chegado
num pico elevado  de casos confirmados e os leitos começaram a ser bastante ocupados.
“Vemos muito alarde sobre a situação em que nossa cidade se encontra e solicitei sua visita
justamente para entendermos melhor o que está acontecendo”, disse.

O secretário deu início a sua fala confirmando que infelizmente houve um relaxamento por
parte da população no final de 2020. “A evolução da doença foi uma surpresa. Tudo que cabe a
todos nós, Executivo e Legislativo, estamos fazendo. Seja na prevenção até na infraestrutura
dos locais de atendimento. Falta colaboração da sociedade”, disse.  Júlio ainda acrescentou que
os comércios e as instituições de Viçosa seguem as normas de contenção e prevenção, mas que
infelizmente estão pagando o preço da população que não respeita a gravidade da situação.

Dentre as atividades que a Secretaria está executando, Júlio frisou que vem promovendo
reuniões com todas as equipes de médicos e enfermeiros que compõem os PSFs (Programas de
Saúde da Família) e no combate à pandemia. “Estamos coletando feedbacks sobre as
dificuldades que estes profissionais estão passando e colhendo informações para melhorar o
contato tanto para eles quanto para os cidadãos”, afirmou. O secretário ainda acrescentou que
recentemente houve muitas queixas sobre a infraestrutura dos PSFs de Viçosa e que irão
procurar saná-las.

Outras ações que salientou foram a restituição do Centro de Operações de Emergência em
Saúde (Coes-Viçosa), sendo composto agora por mais membros da sociedade com o propósito
de ter mais respaldo das necessidades da população, e a compra de mais de  2 mil kits para a
realização dos exames de teste para o coronavirus ainda em janeiro.

Sobre a chegada da vacina, Júlio explicou o por que da quantidade de 1386 doses. De acordo
com ele, o Sistema Único de Saúde (SUS) trabalha com o princípio da equidade, dando
prioridade para quem mais precisa. Viçosa foi uma das poucas cidades que conseguiu amenizar
a contaminação e o índice de mortes, logo, justifica essa parcela dentre as 577 mil coronavacs
que chegaram para Minas Gerais, valor que até superou a quantidade especulada pela
Secretaria, como informou o secretário.

Além disso, sobre a estratégia de vacinação, tema que foi requerido pela Vereadora Jamille
Gomes (PT) na reunião que promoveu na segunda-feira (18) antes da confirmação da chegada
das vacinas em Viçosa na terça-feira, Júlio confirmou que as doses serão direcionadas para
todos os profissionais da saúde que estão na linha de frente e para os idosos do Lar dos
Velhinhos, única instituição de idosos da cidade. Por fim, explicou que a vacina ainda tem o
período de um mês para produzir os anticorpos e que a expectativa da situação estar sob
controle é apenas na metade do ano quando mais de 70% da população for vacinada. “A
chegada da vacina não implica que devemos reduzir os nossos cuidados. Ainda estamos 100%
atentos contra a pandemia”, finalizou.

O vereador Marcão agradeceu pela visita do Secretário de Saúde e salientou que a população
também não deve afrouxar suas precauções. “Acredito que posso confirmar que todos os
vereadores se propõem a colaborar com os trabalhos contra a pandemia. É um ótimo
planejamento e que sejamos fortes ainda pelo período que nos falta contra esse vírus”,
disse. De acordo com o Comitê Extraordinário COVID-19 de Minas Gerais, a microrregião de
Viçosa permanece, até o dia 30 de  janeiro, na zona amarela do Minas Consciente até novas
avaliações. A avaliação leva em conta dados como ocupação hospitalar de leitos de UTI, a
velocidade do avanço da doença e a taxa de incidência. Cidades enquadradas na onda amarela
não permite a realização de shows, produção teatral e congressos e exposições. Bibliotecas,
Bufês, Casas de Festas, Cinemas, Museus e serviços de piercings e tatuagens não são
permitidos também. Bares podem funcionar sem espetáculos musicais.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo