fbpx
Saúde & Bem EstarUFV

Equipe do campus Viçosa que atua no combate à covid-19 recebe primeira dose da vacina

Após aproximadamente 10 meses de trabalho na linha de frente do combate à covid-19, 32 servidores, funcionários terceirizados e estudantes voluntários da UFV receberam, nesta quarta-feira (27), a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. Entre os vacinados estão médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, pesquisadores, auxiliares e alunos de pós-graduação que, no desempenho de um trabalho incansável, contribuíram com a atuação da Universidade em defesa da vida e da segurança da população.

O principal critério de seleção neste primeiro momento foi a atuação direta no combate ao coronavírus. Os profissionais escolhidos trabalham tanto nos atendimentos do Ambulatório Covid-19, da Divisão de Saúde (DSA), quanto nos laboratórios que realizam a testagem das amostras. A imunização, entretanto, não diminui a atenção aos protocolos de biossegurança que têm sido desempenhados pelas equipes da UFV, como reforçou a chefe da DSA, Marisa Correia. Porém, após meses de exposição direta a pacientes sintomáticos, ela considera “um alívio individual e, principalmente coletivo, saber que as consequências de uma possível infecção pelo vírus serão muito menores”.

Ambulatório Covid-19 da UFV já realizou 251 atendimentos, com a ajuda de 12 profissionais. Um deles é o Luciano Cláudio de Paula, técnico de enfermagem há quase 5 anos na UFV. O trabalho durante a pandemia, de acordo com Luciano, foi marcado pelo medo da contaminação, mas, principalmente, pela gratidão de amparar àqueles que estão lidando com a doença. “Nessa profissão, ver as pessoas bem é melhor do que estar bem”, afirmou. Apesar da satisfação de ser um dos primeiros a receber a vacina, destacou: “a minha maior felicidade será o dia em que todos estiverem vacinados e acordarmos livres dessa doença”.

O alívio também foi predominante entre os servidores e estudantes voluntários que realizam os testes de covid-19 nos laboratórios da UFV. Agora eles têm uma motivação extra para o retorno das atividades, de acordo com o biólogo Matheus Loureiro: “sabemos que a imunização ainda não está garantida, mas já é o primeiro passo. Agora, nos sentimos mais seguros trabalhando”.

Confiança na ciência

A equipe dos seis laboratórios da UFV credenciados pela Funed realizou, até dezembro de 2020, mais de 33 mil testes. A exposição frequente às amostras positivadas também os coloca na linha de frente do combate à covid-19. O risco de contaminação, no entanto, não foi impedimento para os estudantes de pós-graduação que se voluntariam para participar da testagem. O pós-doutorando Renan de Souza Cascardo é um deles.  “O trabalho é árduo, passamos muitas horas paramentados, mas é gratificante saber que estamos doando nosso tempo para poder colaborar de alguma forma”, destacou o estudante, que também recebeu a primeira dose da vacina.

Apesar do grande número de amostras recebidas pelos laboratórios, nenhum dos integrantes das equipes foi contaminado. Isso reforça a importância dos protocolos de biossegurança e da utilização correta dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como relembra a professora Poliane Zerbini, coordenadora do Laboratório de Vírus. A pesquisadora também enfatizou a necessidade de confiança nas respostas dadas pela ciência para o enfrentamento da pandemia, como é o caso da vacina. “É fantástico o que a ciência conseguiu realizar neste último ano. A vacina é o resultado de um esforço coletivo de cientistas, de um trabalho técnico muito bem feito. Não há dúvidas de que devemos nos vacinar”, completou.

A UFV continuará seguindo os protocolos e orientações do município de Viçosa e do Programa Nacional de Imunização. Conforme as fases de vacinação forem avançando, outros profissionais serão incluídos.

Fonte: UFV.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo