fbpx
EducaçãoSaúde & Bem Estar

Sindicatos se reúnem para discutir sobre a prioridade dos professores na vacinação contra a Covid-19

Intenção dos Sindicatos é viabilizar a vacinação dos profissionais da educação após a vacinação dos profissionais da saúde, idosos e pessoas com comorbidades.

O Sindicato dos professores de Minas Gerais (SINPRO) e o Sindicato Único dos Trabalhadores (as) em Educação (SindUTE) fizeram uma reunião conjunta com o Executivo Municipal, no último dia 17, para discutir sobre a imunização dos profissionais da educação e os impactos da Pandemia na Educação.

Na reunião, estavam presentes o Professor Idelmino (Diretor do Sinpro em Viçosa); Rosa Reis (Coordenadora Geral SindUTE Viçosa); e Rosângela Souza (Diretora do SindUTE Viçosa). Além disso, representando o Executivo estavam presentes o Superintendente de Governo, Luan Campos Monteiro; a secretária de Educação, Marly Franco; o secretário de Saude, Dr. Júlio César Cotta; e o procurador geral do Município, Adriano de Castro.

Os Sindicatos, que juntos representam todos os trabalhadores da educação na cidade, oficializaram junto ao município a solicitação de prioridade de vacinação. A intenção dos Sindicatos é viabilizar a vacinação dos profissionais da educação após a vacinação dos profissionais da saúde, idosos e pessoas com comorbidades.

Nesse sentido, os Sindicatos abordaram a importância da educação e enfatizaram que a orientação estadual é o retorno às aulas após a vacinação. Abordaram ainda que o ambiente escolar, com base em vários estudos, é um ambiente de grande potencial de transmissão e que, por isso, o retorno com segurança só será possível mediante a vacinação.

Em relação aos impactos da pandemia, o Executivo Municipal se prontificou a tomar todas as medidas para que os profissionais da educação municipal possam ter melhores condições na execução do trabalho remoto. Além disso, o município quer investir na compra de equipamentos para as escolas para viabilizar esse trabalho.

O SindUte solicitou ao executivo que os profissionais da rede municipal recebam um auxílio de trabalho remoto para pagamento de parte do valor da internet e energia, uma vez que hoje estão arcando sozinhos com esses gastos. Por isso, o Executivo se disponibilizou a fazer um estudo da viabilidade financeira da proposta, mas sinalizou de maneira positiva.

O município, hoje, não tem o gasto com o auxílio transporte e que poderia viabilizar esse recurso para a implantação da proposta desse auxílio. Além disso, o Executivo e os Sindicatos chegaram ao entendimento de que mesmo após a vacinação, a elaboração de um protocolo será necessário para que a prática da Educação seja feita de maneira segura para toda comunidade escolar. Novas reuniões entre as partes serão efetuadas para que as ações sejam viabilizadas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo