fbpx
Educação

Transmissão de aulas pela Rede Minas retorna no dia 15 de março

Teleaulas também serão reprisadas pela TV Assembleia, informou o Estado em coletiva nesta terça-feira (2).

O ano letivo da rede estadual em Minas será iniciado para os alunos na próxima segunda-feira (8), ainda de forma remota. A primeira semana será dedicada à comunicação entre estudantes e equipe escolar e na semana seguinte, a partir do dia 15, as teleaulas voltarão a ser transmitidas na Rede Minas, das 7h30 às 12h30, e reprisadas na TV Assembleia. As informações foram repassadas pelo Governo de Minas Gerais nesta terça-feira (2).

O Estado também disponibilizará acesso gratuito a diretores, professores e estudantes ao Google Sala de Aula, programa que permite compartilhar atividades e conversar por vídeo com os docentes. O acesso aos estudantes, para adaptação, será a partir do dia 8 de março, e os professores poderão acessar o programa a partir desta quarta-feira (3). Cada professor visualizará apenas as turmas a que dá aula.

“Uma demanda era mais interação. Provemos formação e algumas dezenas de milagres de professores a tem agora”, disse a secretária de Estado de Educação, Julia Sant’Anna, em coletiva de imprensa nesta terça-feira (2).

Como em 2020, o Estado continuará utilizando os Planos de Estudo Tutorados (PET), que, neste ano, passam a ser bimestrais. A distribuição segue como antes: o material será disponibilizado no aplicativo Conexão Escola 2.0, pelo site, e os alunos sem internet receberão o material em casa. O material inicial poderá ser acessado a partir desta quarta.

A Secretaria de Estado de Educação (SEE/MG) não informa o número de estudantes que não participaram do ensino remoto no último ano letivo, mas calcula que 28% dos matriculados na rede estadual demandaram as atividades impressas, sinalizando não ter acessos eficaz à internet. Agora, o governo oferecerá aulas de reforço remotas para cerca de 100 mil estudantes. “O reforço escolar será a partir do dia 31 de março e será focado em quem teve pendências de entrega, por exemplo. As escolas terão orientação para fazer turmas exclusivas para esses alunos”, detalhou Sant’Anna.

O governo permitiu o retorno das aulas presenciais neste mês, mas a decisão só passa a valer na prática quando a Justiça autorizar, já que há decisões judiciais que impedem a volta da modalidade. Com a publicação de novos protocolos de funcionamento na última semana, a SEE-MG tem esperança de convencer o Judiciário sobre a segurança do retorno, porém ainda não teve resposta.

As escolas da rede estadual de Minas Gerais foram fechadas em 18 de março e, no dia 18 de maio, as atividades foram retomadas em modelo remoto. O Estado chegou a anunciar o retorno das atividades presenciais para o dia 19 de outubro, mas o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu pela suspensão da medida, atendendo a um pedido do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG).

Segundo o governo, 90,5% da comunidade acadêmica que respondeu a uma consulta pública realizada entre 18 de dezembro e 15 de janeiro aprovam as ferramentas de ensino remoto oferecidas pelo Estado. A maior parte dos respondentes, 44,2%, foram estudantes.

Governo dobrará recurso de kit merenda

O Governo de Minas Gerais anunciou que dobrará o investimento da contrapartida estadual da merenda escolar, o que significa que serão liberados mais R$ 170 milhões para alimentação dos estudantes da rede pública estadual ainda neste mês. Cada escola tem autonomia para decidir como distribuirá os kits de alimentação às famílias, como já é realizado.

“Fico muito emocionado porque estamos aqui investindo na alimentação dos nosso alunos, algo que, em um tempo recente, faltava na escola. A verba já chega na semana que vem na conta das nossas escolas”, disse o subsecretario de Articulação Educacional, Igor de Alvarenga Oliveira Icassatti

Sabemos que a vida de diretor está muito difícil e é importante garantir um bom funcionamento da alimentação. Essa verba estará inserida na autorização que estamos mandando esta semana da oferta do kit alimentação. Os anos sem aulas presenciais, no momento todos, ou com ensino híbrido seguirão recebendo o kit alimentação a partir de agora com a dobra do recurso”, explicou a secretária de Estado de Educação, Julia Sant’Anna.

O valor é parte de um investimento de R$ 350 milhões direcionado às escolas estaduais. Além do dinheiro para a alimentação e para as reformas, o Estado direcionará R$ 90 milhões a um prêmio para as escolas com melhores resultados de engajamento neste ano. O Prêmio Escola transformação será dividido em três fases: na primeira, em maio, as 300 escolas com melhores avaliações diagnósticas do aprendizados dos alunos e índice de participação dos professores no Google Sala de Aula receberão uma menção honrosa.

Na segunda fase do prêmio, em agosto, serão consideradas as entregas dos PET e as avaliações diagnósticas e cada umas das 300 escolas que se destacarem receberão R$ 100 mil. A última fase será em novembro, onde mais 300 escolas receberão a parcela de R$ 100 mil e ainda outra com o mesmo valor, se mantiverem resultados positivos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

As escolas terão um portifólio de opções para investir o dinheiro, segundo a SEE/MG. “As regras estão publicadas jondia 12 de março. Um dos prêmios possíveis para a escola escolher são cursos de pós-graduação para cada. De seus professores. É fundamental prestar esse reconhecimento”, pontuou a secretária de Educação, Julia Sant’Anna.

Fonte: O Tempo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo