fbpx
Cidade

Morre jornalista viçosense Petrônio Fonseca, aos 84 anos

Petrônio era um dos jornalistas mais antigos da cidade e morreu por conta de uma insuficiência renal.

Diretor do Jornal “O Popular”, Petrônio Fônseca morreu na madrugada desta quinta-feira (25) por conta de uma insuficiência renal. Ele estava internado no Hospital São João Batista e, após ficar no CTI por 15 dias, havia acabado de se recuperar da Covid-19. Seu quadro de saúde piorou nessa semana e ele precisou ser, novamente, levado ao CTI, onde faleceu.

Petrônio tinha 84 anos e era um dos jornalistas mais antigos da cidade. Ele se dedicou a profissão por aproximadamente 60 anos e, desde 2004, mantinha o jornal impresso “O Popular”, distribuído gratuitamente em Viçosa para popularizar a informação na cidade.

Além disso, ele era um grande defensor da liberdade de imprensa e de opinião. Além desse jornal, contribuiu em outros lugares da cidade e de Minas Gerais. Inclusive, foi assessor de imprensa da Prefeitura de Viçosa na época do prefeito Antônio Chequer e era membro da Academia Viçosense de Letras desde 2014.

Com tristeza no coração que venho render essa homenagem póstuma a um colega de trabalho. Encontrava sempre o Jornalista Petrônio Fonseca nos eventos. Ele, e eu, tínhamos o péssimo hábito de chegar no horário nas solenidades e eventos. Nesse sentido, além de sempre colocar o papo em dia, sempre conversávamos antes dos eventos e comentávamos sobre isso: nossa sina era esperar. Petrônio era um jornalista de carreira, respeitado, tendo passado por diversos Jornais de importância no Estado, dentre eles o Jornal Estado de Minas. Sempre bem-disposto e com boa saúde. Tinha seus mais de 80 anos. Mas “e daí”?. Estava saudável, todos o viam caminhando pela cidade para produzir e distribuir o seu Jornal quinzenal “O Popular”. Era seu hobby, seu trabalho, com seus mais de 80 anos. Um exemplo pra gente. Eu sempre fazia essa observação com nossos colaboradores. Petrônio sempre estava a caminhar. Há pouco tempo ainda, me reuni com ele em meu escritório. E há poucos dias o encontrei na missa no Santuário de Santa Rita de Cássia. Foi a última vez que o vi. Esse é o vírus que tem nos tirado vidas e historias que ainda poderiam ser vividas. Vá em paz grande mestre.

Texto escrito pelo diretor da Rádio Montanhesa, Bruno Torres, em sua página pessoal no Facebook para homenagear o colega e amigo Petrônio Fonseca do jornal “O Popular” que faleceu durante a madrugada desta quinta-feira, 25.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo