fbpx
Minas GeraisSaúde & Bem Estar

Forças de segurança começam a ser vacinadas em Minas

Policiais, bombeiros e guardas municipais receberão doses de novo lote de imunizantes. Idosos de 65 a 69 também entram na lista

Para evitar novas perdas e proteger quem protege a população, Minas Gerais deve iniciar esta semana a imunização dos profissionais das forças de segurança, salvamento e Forças Armadas, já que o setor foi incluído na lista dos que devem ser vacinados com as mais de 1 milhão de doses que chegaram ao estado na quinta-feira (1º/4).

A remessa permitirá a ampliação da vacinação, incluindo idosos entre 65 e 69 anos, e que seja dada prioridade aos policiais federais, militares, civis e rodoviários; bombeiros militares e civis; e guardas municipais. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) informou que dentro do grupo haverá ainda outros critérios de prioridade: trabalhadores envolvidos no atendimento e transporte de pacientes, resgates e atendimento pré-hospitalar, ações de vacinação contra COVID-19, ações de vigilância das medidas de distanciamento social, com contato direto e constante com o público independentemente da categoria.

De acordo com a Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra-MG), mais de 7 mil militares testaram positivo para a COVID-19, dos quais 155 morreram em decorrência da doença. Como o Ministério da Saúde já previa esses trabalhadores como prioridade na vacinação e as prefeituras têm autonomia para gerir suas campanhas, algumas cidades já vacinaram esse público.

O Estado de Minas teve acesso a um documento em que o comando-geral do Corpo de Bombeiros fez um levantamento do número de militares vacinados no estado e encaminhou à SES-MG por meio de um processo no Sistema Eletrônico de Informações (Sei). De acordo com os dados do texto, pelo menos 1.043 bombeiros militares já foram vacinados no estado. Outros 2.003 que fazem o trabalho operacional ainda não receberam a imunização.

Esses militares foram imunizados por iniciativa das prefeituras, que têm autonomia para realizar a gestão da Campanha de Vacinação. É o caso de cidades como Arcos, Itaúna, Ituiutaba, Uberlândia e Diamantina. “Foram vacinados os profissionais da corporação que estão envolvidos na resposta pandêmica nos diferentes níveis de complexidade da rede de saúde e possuem atribuições de saúde nos municípios em que atuam, realizando ações como transporte de pacientes tanto em aeronaves quanto em viaturas de Unidade de Resgate”, informou a SES-MG.

Os municípios que adiantaram essa imunização aos bombeiros reconhecem o risco em que eles são expostos, já que, diariamente, os militares atendem ocorrências em que precisam de contato direto com doentes, sejam eles com ou sem diagnósticos de COVID-19. Segundo a corporação, 20,17% (equivalente a 73.741) das ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros no ano passado se referem ao atendimento pré-hospitalar. Esta é a segunda atividade mais atendida pela corporação, que só fica atrás das ações de prevenção (20,68%).

Além de ampliar a vacinação para idosos entre 65 e 69 anos, o carregamento vai permitir o início da imunização de profissionais das forças de segurança que atuam na linha de frente do combate à pandemia; incluídos como prioridade no Plano Nacional de Imunização (PNI).

No grupo prioritário das forças de segurança estão os trabalhadores envolvidos no atendimento e transporte de pacientes, resgates e atendimento pré-hospitalar, ações de vacinação contra COVID-19, ações de vigilância das medidas de distanciamento social, com contato direto e constante com o público independentemente da categoria.

Demais profissionais que não se enquadram nas atividades de linha de frente deverão ser vacinados conforme andamento da campanha nacional de vacinação contra a COVID-19.

FONTE: SES-MG

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo