fbpx
Uncategorized

Igor Eto, secretário estadual de governo visita UFV e conhece os projetos da instituição no combate a Covid-19

O secretário estadual de governo, Igor Eto esteve na tarde desta sexta-feira, 9, visitando a Universidade Federal de Viçosa (UFV) acompanhado do deputado estadual Roberto Andrade e do superintendente da Regional de Saúde de Ponte Nova Marcus Schetini.

Durante uma reunião com o reitor Demetrius David da Silva os visitantes conheceram as atividades de pesquisa e demais ações que a UFV tem realizado no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus através de uma apresentação da professora do Departamento de Microbiologia e coordenadora do Laboratório de Vírus, Poliane Alfenas Zerbini.

As autoridades presentes puderam conhecer as diversas frentes nas quais a instituição tem atuado no combate à covid-19. A professora Poliane destacou a criação de dois testes, que já vem sendo utilizados para realização de diagnósticos, além do desenvolvimento de outros dois, prestes a serem lançados. Ressaltou, ainda, estudos em torno da produção de uma vacina local, em fases iniciais de teste. Além disso, também foram detalhadas iniciativas relacionadas à elaboração de um inquérito epidemiológico em Viçosa, com o objetivo de checar a incidência do vírus na cidade.

Fotos: Daniel Sotto Maior

Outro tema abordado foram as pesquisas no campo da vigilância genômica, que permitirão verificar o eventual surgimento de novas variantes do Sars-CoV-2. Por meio de equipamentos e tecnologias sofisticadas, os pesquisadores da UFV estão realizando o sequenciamento genético do vírus em diversas amostras, comparando com os novos tipos já descobertos no Brasil e em outras partes do mundo. Com isso, será possível aumentar o conhecimento a respeito do patógeno, o que poderá subsidiar, por exemplo, o desenvolvimento de tratamentos e imunizantes mais eficazes.

Demais ações diretas de apoio à sociedade também foram detalhadas, como a realização de cerca de 45 mil testes para municípios das Superintendências Regionais de Saúde (SRS) de Manhuaçu, Ponte Nova e Patos de Minas (incluindo cidades do noroeste) e da Gerência Regional de Saúde (GRS) de Ubá – com resultados entregues, em média, em até 36 horas. “Antes, para testar, era necessário enviar as amostras a Belo Horizonte e esperar algo em torno de seis dias para se receber a informação de volta. Para enfrentar essa situação com eficiência, é imprescindível haver agilidade no diagnóstico. Por isso o nosso empenho em oferecer esse serviço, com recursos próprios da Universidade”, enfatizou o reitor.

A campanha de vacinação, que em Viçosa ocorre no campus da UFV, foi igualmente mencionada, em mais uma demonstração da capacidade operacional da Universidade em atender à comunidade. Aproximadamente 10 mil pessoas já receberam a primeira dose no Espaço Multiuso do campus Viçosa. A elaboração de métodos preventivos, que visam a proteção dos profissionais que precisam continuar trabalhando presencialmente – sejam servidores efetivos ou terceirizados – chamou a atenção dos presentes pela baixíssima taxa de infecção desse público (cerca de 1%).

Após a reunião, as autoridades percorreram o campus para conhecer os laboratórios onde os trabalhos vêm acontecendo. “Para superarmos esse inimigo ainda desconhecido, é preciso apoiar a ciência e as pesquisas. Por isso viemos até a UFV, para assistir ao trabalho que vem sendo feito. Saímos com muita confiança, considerando a seriedade e a dedicação do que nos foi apresentado”, afirmou o secretário de governo.

Fonte: UFV

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo