fbpx
EducaçãoUFV

Ministro da Educação participa de cerimônia de inauguração do Departamento de Agronomia da UFV

O ministro enalteceu a estrutura e a realização da obra pela UFV. Além disso, comentou sobre a destinação de verba para a educação e mais.

O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, esteve em Viçosa nesta quinta-feira (06) para participar da cerimônia de inauguração do Departamento de Agronomia da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Além dele, autoridades municipais, como o prefeito da cidade, Raimundo Nonato (PSD) e deputados estaduais e federais estiveram presentes.

Nos discursos feitos pelos presentes no local, todos enalteceram o curso de Agronomia da Universidade e a sua importância para o Brasil. De acordo com o Reitor da UFV, Demetrius David da Silva, com a finalização da obra do Departamento, os profissionais terão condições de trabalho ainda melhores.

Além disso, ele pontuou que a construção não é uma obra dele, e que todos seus antecessores que participaram da iniciativa tem sua parcela de contribuição. Inclusive, citou também o investimento de R$ 23 milhões feitos para que a obra fosse construída, ressaltando que em nenhum lugar do Brasil haveria um custo tão baixo desse por uma obra tão qualificada.

Ainda sobre a Universidade, Demetrius citou projetos de pesquisa como o do sequenciamento genético e a produção de candidatos vacinais contra a Covid-19. Relembrou, também, da avaliação máxima do MEC em relação às competências dos cursos da instituição, mesmo tendo todos os seus cursos sendo avaliados, o que torna ainda mais difícil a nota obtida e, por isso, mais gratificante.

Por fim, fez um pedido ao Ministro presente, solicitando ajuda para manter a Universidade Federal de Viçosa, assim como todas as outras instituições de ensino superior do Brasil, funcionando.

“Não se transforma um país sem investimento na educação”, afirmou Demetrius.

“Sobrará dinheiro para a educação”, afirma Ministro

Em seu pronunciamento, Ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que ainda sobrará dinheiro para as instituições de ensino. Isso porque, segundo ele, há uma investigação em andamento de quase 360 prefeitos suspeitos de desvio de verba da educação.

Além disso, de acordo com ele, o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), pode ser chamado de inúmero qualificativos não honrados, mas que não pode ser chamado de corrupto e ladrão.

“Há pessoas desonestas, que desviam dinheiro da merenda e nós estamos investigando isso. Inclusive, o Bolsonaro em nenhum momento impediu que algum aliado dele fosse investigado por conta disso. Não há lugar no meu ministério para quem está desviando dinheiro. Até por estar investigando, eu só ando agora com seguranças”, afirmou o Ministro.

Além disso, em relação ao corte de verba feito recentemente, o Ministro disse que quando foi chamado para conversar sobre, tentou argumentar. Mas que seus argumentos acabaram quando o presidente lhe pediu para que, neste momento de guerra, esses investimentos fossem adiados para que pessoas pudessem se alimentar.

Por fim, ele elogiou a Universidade Federal de Viçosa, principalmente por ter realizado a obra do novo Departamento de Agronomia com tanta excelência e tão pouco custo.

“O Brasil tem, sim, pessoas sérias”, finalizou.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo