fbpx
CidadeMinas GeraisRegiãoSaúde & Bem Estar

Apagão: geradores e baterias garantiram a integridade das vacinas contra a Covid em Viçosa e Ponte Nova

Superintendência Regional de Saúde emitiu nota informado que mesmo com horas sem energia os imunológicos foram preservados

A Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Ponte Nova emitiu uma nota na manhã desta segunda-feira, 17 para informar que o apagão de domingo, 17, que atingiu mais de 30 cidades entre Marianas, Ouro Preto e Viçosa, não comprometeu as vacinas contra o coronavírus armazenadas na regional de Ponte Nova.

De acordo com a nota, a sede da Regional de Saúde de Ponte Nova possui gerador de energia e que o apagão não comprometeu os imunológicos. Ainda segundo a nota, quanto aos municípios, a SRS acionou um a um, colocando-os em estado de alerta e orientando-os quanto ao armazenamento e transporte. Houve articulação da rede – hospitais, unidades de saúde e a própria sede da SRS – para atender eventuais necessidades.

A reportagem do Primeiro a Saber entrou em contato com a Diretoria de Comunicação da Prefeitura de Viçosa para saber se o município teve perdas de doses de vacinas contra a Covid por conta do apagão. A prefeitura informou que as câmaras frias, onde as vacinas estão armazenadas contam com baterias, e na falta de energia elas (as baterias) entram em modo de emergência.

De acordo com o diretor de comunicação da prefeitura de Viçosa, Edson Rocha, as baterias suportam até 48 horas e que por precaução houve monitoramento das salas de vacinas até que a energia voltasse ao normal.

Veja a nota da Superintendência Regional de Saúde de Ponte Nova na íntegra

NOTA

A Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Ponte Nova informa que, por volta das 19h30 do último domingo (16/05), houve um acidente na subestação da Cemig de Ouro Preto, que ocasionou interrupção de energia em alguns municípios das microrregiões de Ponte Nova e Viçosa, os quais possuem subestações conectadas.

A SRS informa que sua Rede de Frio possui gerador, o que não comprometeu a manutenção das temperaturas exigidas para o armazenamento de imunobiológicos, incluindo as vacinas contra a covid-19. Quanto aos municípios, a SRS acionou um a um, colocando-os em estado de alerta e orientando-os quanto ao armazenamento e transporte. Houve articulação da rede – hospitais, unidades de saúde e a própria sede da SRS – para atender eventuais necessidades.

Importante ressaltar que o Estado tem distribuído câmaras frias aos municípios, conforme Deliberações CIB-SUS/MG nº 2.975, de 14 de agosto de 2019, e nº 3.207, de 14 de agosto de 2020, que garantem a manutenção da constância da temperatura e possuem durabilidade de bateria que, em caso de pico de energia ou desligamento da rede, é capaz de manter a refrigeração por até 24 horas, evitando perdas. Assim, diversos municípios não tiveram necessidade de realizar o remanejamento dos imunobiológicos para fora de seu território.

Até o momento, não recebemos relatos de perdas de imunobiológicos, à exceção do município de Acaiaca, que relatou, na manhã desta segunda-feira (17/5), problema em unidade de saúde da zona rural. A SRS orientou a equipe técnica a preencher formulário de imunobiológicos e colocar o estoque sob suspeita, até análise pela Rede de Frio da SES-MG, evitando sua utilização em desconformidade com as normas técnicas.

 

 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo