fbpx
CidadeSaúde & Bem Estar

Ministério Público investiga se familiares de casal que tomou 4 vacinas contra a Covid-19 também se vacinaram indevidamente

Município de Viçosa ajuíza Ação Cível Pública. A ação foi protocolada na 2ª Vara Cível da Comarca de Viçosa, na última sexta-feira, 9, tendo como pedido a reparação de dano coletivo.

O promotor público Luís Cláudio Magalhaes concedeu entrevista ao Jornal da Montanhesa nesta terça-feira, 13 e confirmou que a esposa do professor morador de Viçosa que tomou 4 vacinas contra a Covid-19 também recebeu 4 vezes os imunizantes contra o coronavírus.

O promotor disse que tomou conhecimento de que havia na cidade a repetição do mesmo caso, ou seja, outra pessoa havia tomado 4 doses de vacinas contra a Covid-19.

Segundo o promotor a documentação que comprova que a mulher tomou as doses foi entregue ao procurador geral, Adriano de Castro Antônio, para as providências por parte do município e depois haverá um encaminhamento via Ministério Público para uma ação judicial, assim como foi feito com o homem de 69 anos que também tomou 4 vacinas de forma indevida.

Perguntado pelo jornalista Alan Leal, apresentador do jornal se havia outros casos, em Viçosa, ou até de familiares do casal também tomaram mais de duas doses de vacinas contra a Covid-19, o promotor respondeu que estão fazendo levantamento se familiares do casal também tomaram mais de duas doses de imunizantes.

De acordo com informações do promotor a pessoas que for flagrada tentando ser revacinada de forma indevida pode ser presa em flagrante no local de vacinação e ressaltou que o Ministério Público, a Prefeitura de Viçosa e a UFV (Universidade Federal de Viçosa) estão atentos para esse tipo de situação não volte a acontecer.

Prefeitura de Viçosa ajuizou ação contra o professor que tomou 4 doses de vacinas 

A Prefeitura de Viçosa, através da Procuradoria Geral, ajuizou uma Ação Civil Pública (ACP) contra o cidadão que, de acordo com os registros da Coordenadoria de Imunização da Secretaria de Saúde, tomou quatro doses de vacinas contra a Covid-19, sendo três delas em Viçosa. A ação foi protocolada na 2ª Vara Cível da Comarca de Viçosa, na última sexta-feira, 9, tendo como pedido a reparação de dano coletivo.

A descoberta ocorreu após a pessoa abordar a equipe de imunização alegando ter 61 anos de idade e ter perdido sua data correta de vacinação. Após a aplicação do imunizante e conferência de dados, pois o indivíduo apresentou apenas o seu CPF, foi constatado que o mesmo havia tomado duas doses da Coronavac em Viçosa, uma da Astrazeneca no Rio de Janeiro e a última da Pfizer, também em Viçosa. A prefeitura, imediatamente, após a constatação do fato, acionou sua Procuradoria Geral para a tomada de medidas de cunho cível e administrativo, e também o Ministério Público, para fins criminais.

O procurador geral, Adriano de Castro Antônio, informa que o município está vigilante quanto ao processo de imunização. Segundo ele, todos os casos similares sofrerão a mesma resposta jurídica, uma vez que a população enfrenta uma situação de calamidade decorrente de uma pandemia sem precedentes, em todo o planeta.

A Secretaria Municipal de Saúde orientou também à equipe de imunização a fornecer a quem se recursar tomar doses de algum imunizante (escolher qual vacina tomar) um termo de consentimento abrindo mão de sua vez na vacinação.

A Administração Municipal pede à população que continue mantendo todos os cuidados de distanciamento e regras previstas nos decretos municipais relativos ao enfrentamento da Covid, bem como o bom senso de evitar atitudes que possam comprometer o bem-estar coletivo e retirar a chance de que outras pessoas possam ser imunizadas.

Veja aqui o Jornal da Montanhesa de hoje na íntegra 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo