fbpx
Minas GeraisPolítica

Mais forte no interior, Zema lidera pesquisa em busca da reeleição em Minas

Faltando um ano e dois meses para a disputa das eleições de 2022, o governador de Minas, Romeu Zema (Novo), conta com a força no interior do Estado para largar na frente em sua batalha pela reeleição. De acordo com a pesquisa exclusiva DataTempo/Cp2 que O TEMPO começa a ser divulgar nesta terça-feira, o governador, que tem feito um périplo por várias regiões do Estado para distribuir vacinas e entregar suprimentos médicos, lidera em todas elas – à exceção da metropolitana de Belo Horizonte. Assim, pode começar a corrida ao Palácio Tiradentes com larga vantagem.

Os números colhidos entre os dias 17 e 20 de julho apontam que o governador teria hoje mais do que o dobro das intenções de voto do segundo colocado na disputa, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD). O chefe do Executivo da capital tem dito que precisa focar seu trabalho na prefeitura, para a qual foi reeleito com ampla votação em 2020.

Com isso, tem fincado o pé em BH e, como também acontece com os demais pré-candidatos, enfrenta desconhecimento fora da região metropolitana. Juntos, Zema e Kalil praticamente monopolizam a corrida estadual nos dois cenários medidos pelo instituto. Em ambos, Zema teria hoje números que lhe garantiriam uma vitória em primeiro turno, já que registra um volume de intenção de votos superior à soma de seus adversários.

Em um levantamento que incluiu 12 pré-candidatos, o governador aparece com 46,2%. Em segundo, Kalil registra 18,8%. Na terceira posição, bem distante dos dois, está o deputado federal Reginaldo Lopes (PT), que soma 3,5%. Ele está empatado tecnicamente com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), que aparece com 3% das intenções de voto.

Para chegar ao comando do Legislativo federal, o senador fez um acordo com o PSD de Kalil. Nos bastidores, aponta-se que uma das condições para o apoio seria que Pacheco desistisse da candidatura ao governo de Minas. Desde então, ele tem sido apontado como alternativa do próprio PSD para a Presidência da República. No entanto, uma candidatura no Estado não está 100% descartada.

Neste cenário, os outros candidatos, somados, alcançam 8,5%. Na lista estão, por exemplo, os empresários Salim Mattar e Rubens Menin, o presidente da Assembleia de Minas Gerais (ALMG), Agostinho Patrus (PV), e o presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM), Julvan Lacerda (MDB). Os eleitores que cogitam, hoje, votar em branco ou anular o voto em 2022 somam 9,3%. Os que não souberam ou não responderam são 10,5%.

DataTempo/CP2 também simulou um outro cenário, com apenas quatro candidaturas. Nessas condições, Romeu Zema aparece com 50,2%, enquanto Alexandre Kalil soma 23,9%. O terceiro colocado, bem atrás, seria Reginaldo Lopes, com 4,8%, com Áurea Carolina (PSOL) aparecendo em seguida, com 3,7%. Os eleitores que, com esta lista de quatro candidatos, optariam hoje por um voto em branco ou optariam por anulá-lo são 9,8%. Os que não souberam ou não responderam são 7,5%. Os dados apresentados são de pesquisa estimulada.

Fonte: O Tempo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo