fbpx
Uncategorized

Zona rural de Viçosa vai receber telefonia móvel e internet com tecnologia 4G do programa “Alô Minas”

Além de Viçosa, Ubá e Ervália cidades como Alfredo Vasconcelos, Espera Feliz, Fervedouro, Juiz de Fora, Miradouro e Muriaé também foram contempladas.

As localidades do Paraíso, Silêncio/Condé, Piuna e Colônia Vaz de Melo, na zona rural de Viçosa estão entre os diversos distritos, povoados e comunidades das cidades da Zona da Mata e Vertentes que vão receber do programa “Alô, Minas!”, do governo estadual a cobertura de telefonia móvel e internet com tecnologia 4G.

A seleção pública foi realizada neste mês pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) com o valor total de R$ 69.641.303,73 para quase 150 cidades mineiras. A operadora Claro foi a vencedora para Zona da Mata e Campos Vertentes e será a fornecedora do sinal.

Além de Viçosa, Ubá e Ervália cidades como Alfredo Vasconcelos, Espera Feliz, Fervedouro, Juiz de Fora, Miradouro e Muriaé também foram contempladas.

As cidades e as localidades contempladas nas regiões foram os seguintes:

O subsecretário de Governança Eletrônica e Serviços da Seplag, Rodrigo Diniz, destacou que a tecnologia possibilita novas oportunidades para a população e acesso a serviços digitais, inclusive ao MG App.

Os municípios contemplados no “Alô, Minas!” têm responsabilidades como prover e disponibilizar terreno para que a operadora possa construir e instalar a torre de telefonia por um período de 20 anos. As operadoras terão até 28 meses para instalar as antenas.

‘Alô Minas!’

O projeto foi lançado em 2020 e tem o objetivo de garantir melhoria das condições de vida da população, com encurtamento de distâncias e geração novas possibilidades de autonomia, desenvolvimento, geração de emprego e renda.

O programa ainda busca aproximar o cidadão dos serviços públicos, simplificar a prestação de serviços e torná-la mais dinâmica e ágil. A iniciativa deve promover o desenvolvimento industrial e comercial.

O “Alô, Minas!” é coordenado pela Seplag, em parceria com as prefeituras e com apoio das secretarias de Estado de Fazenda (SEF/MG), de Governo (Segov) e da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Fonte: G1

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo