UFV participa de projeto do Ministério das Relações Exteriores para fortalecimento da pecuária de corte do Zimbábue
1 de dezembro de 2021

O professor Odilon Gomes Pereira, do Departamento de Zootecnia (DZO), é um dos integrantes da equipe brasileira que vem atuando na África no projeto Fortalecimento do Setor da Pecuária de Corte do Zimbábue, coordenado pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores, e implementado em parceria com a UFV.

Em fevereiro de 2021, o professor esteve naquele país com os objetivos de participar da primeira reunião do comitê gestor do projeto e monitorar a instalação da Unidade Técnica Demonstrativa (UTD). Nessa Unidade, localizada no Grasslands Research Station, a 67 km a sudeste de Harare (capital de Zimbábue), foram semeadas, em 2020, seis espécies de gramíneas melhoradas no Brasil e duas nativas do Zimbábue. O objetivo é avaliar qual delas se adapta melhor ao país.

Em função das restrições impostas pela pandemia de covid-19, somente agora, em novembro, o professor Odilon pôde voltar a Zimbábue, juntamente com os outros integrantes da equipe: o coordenador de projetos da África, Ásia e Oceania da ABC, Nelci Caixeta, e a analista de projetos da ABC, Melissa Popoff. Eles participaram de duas reuniões no Ministério de Terras, Agricultura, Água, Clima e Reassentamento Rural do Zimbábue. A primeira teve a participação do chefe do Grasslands Research Station, Accadius Tigere, que apresentou a situação atual da UTD e debateu com a equipe aspectos técnicos relacionados à Unidade.

Durante o encontro foram definidos os períodos e locais para a capacitação de técnicos do Zimbábue por professores da UFV, o que deverá acontecer a partir de fevereiro de 2022. Dentre outros temas, eles envolverão a conservação de forragens e formulação de dietas e produção de bovinos de corte ao uso de softwares livres para avaliação genética animal. Também foi aprovado e assinado o regimento do Comitê Gestor do Projeto.

A equipe visitou ainda a UTD do Grasslands Research Station, cujo exemplo, segundo informações divulgadas no site da ABC, poderá ser replicado pelas demais unidades técnicas do país e por produtores da região. Nessa visita, o professor da UFV debateu com os técnicos da Research Station o protocolo já elaborado para as avaliações das gramíneas, bem como a implantação do sistema de irrigação da Unidade. Os integrantes da equipe também visitaram a embaixada do Brasil em Harare, onde foram recebidos pelo embaixador José Roberto Procopiak, que os parabenizou pelo trabalho.

O professor Odilon considera que uma das principais razões de a UFV ter sido escolhida para integrar o projeto é o reconhecimento internacional que a instituição tem, especialmente na área de ciências agrárias. Ele destaca ainda a sólida contribuição da Universidade na formação de recursos humanos altamente capacitados na área. Em sua avaliação, projetos como este fortalecem ainda mais a ação da UFV no cenário internacional. Além do DZO, o Departamento de Veterinária também estará envolvido na capacitação de técnicos do Zimbábue.

A sigla da UFV está na placa de entrada da Unidade Técnica Demonstrativa (UTD)
Na visita à UTD, um registro de Andrew Chamisa, Odilon Pereira, Nelci Caixeta e Melissa Popoff

Informações UFV

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade