8º Conexão Hip Hop marca presença na cultura urbana de Viçosa e região
2 de maio de 2022

A oitava edição do Conexão Hip Hop, evento de celebração ao Movimento Hip Hop e às culturas urbanas, aconteceu em Viçosa nos dias 23 e 24 de abril, sendo realizado pela Secretaria de Cultura, Patrimônio Histórico e Esportes, com apoio do Grupo Impacto de Dança e em parceria com o Festival Internacional de Hip Hop (FIH2).

Como parte da programação, o 8º Conexão Hip Hop ofereceu cinco oficinas gratuitas durante o fim de semana, ministradas por artistas de renome no cenário do Hip Hop brasileiro: oficina de Breaking com B-girl Nathana, oficina de Popping e Locking com Frank Ejara, oficina de RAP com MC Crizin, oficina de Jazz Funk e Vogue Femme com Juana Chi e oficina de Passinho com Pablinho IDD.

Os workshops foram muito bem recebidos pelo público, composto em sua maioria por jovens e adultos de até 32 anos, dentre eles, alunos de dança e bailarinos dos grupos inscritos para o Festival de Danças Urbanas do Conexão, como Lavínia, de 14 anos, integrante do grupo OESTE VII de Ubá: “Em todos os festivais que eu vou, gosto muito de fazer workshops para adquirir mais coisas para a minha dança e, principalmente, ao meu grupo. Então, como eu tive essa oportunidade, a minha vontade era fazer todos”, comenta.

Segundo o dançarino e coreógrafo Frank Ejara, convidado pelo Conexão Hip Hop, a importância das oficinas e da disseminação da Cultura Hip Hop vai além de ensinar os passos para os alunos: “É algo importante não só para eles, como ferramenta para conhecer mais um estilo de dança, mas também para o próprio estilo, para continuarmos difundindo essas danças que já têm quase cinquenta anos de existência. É legal a gente estar tendo esse trabalho de levar a dança para mais pessoas, mais longe”.

Juana Chi, pioneira da cena ballroom da Região Sul, afirma ficar orgulhosa de poder viajar o Brasil e conhecer novos talentos do Vogue, ajudando a alavancar e fortalecer os movimentos iniciantes, como a cena viçosense: “Algumas pessoas dessa cena estavam hoje fazendo a minha aula de Vogue e isso, pra mim, é muito importante: poder estar fomentando e estar à frente. E eu tenho certeza da importância disso para pessoas LGBT, pessoas pretas, pessoas trans. Isso é muito importante para a gente, pois é um estilo de dança que fala sobre os nossos corpos e carrega essa militância também, fala sobre a nossa história”.

De forma simultânea às oficinas, Mart, Nascibem e Rodrigo Branco, artistas contemplados no edital da Mostra de Grafitti do evento, iniciaram seus trabalhos na Escola Municipal Ministro Edmundo Lins, colorindo as paredes brancas do ginásio com a cultura Hip Hop.

Na noite de sábado, o Festival de Danças Urbanas do Conexão Hip Hop contou com a presença de nove grupos de dança: dois de Ubá, três de Belo Horizonte e quatro de Viçosa, apresentando coreografias de danças urbanas de altíssimo nível. E para encerrar a programação do primeiro dia de evento, o Grupo Impacto de Dança fez a estreia viçosense de seu novo espetáculo “YOTÉ”, agitando e, ao mesmo tempo, emocionando o público presente no Complexo Esportivo Municipal.

Após a segunda aula das oficinas na parte da manhã, a tarde de domingo foi marcada pelas Batalhas de All Style, Breaking e MCs ao som do DJ Feijão e o rapper STGMA como mestre de cerimônias. O Corpo de Jurados foi formado pelos cinco ministrantes dos workshops do evento, cada um em sua área de especialidade. Após as disputas, foram sagrados vencedores os dançarinos Filipe Fill e Bruno Israel (1º e 2º lugar All Style), Ivan Saiyajin e Marcelinho (1º e 2º lugar Breaking) e William Romano e Mirreiz (1º e 2º lugar MCs), recebendo prêmios de R$ 1000,00 e R$ 500,00.

Para além dos campeões, a energia dos quase 30 competidores e da plateia conquistou o júri: “Vejo que a galera tem fome, desejo de crescer e procurar mais informação. (…) Então é muito importante fomentar esse trabalho, porque eu acredito que a cultura, a arte, tem um poder de transformação muito grande na vida das pessoas, principalmente na dos jovens” afirma a jurada e b-girl Nathana, atleta da Seleção Brasileira de Breaking.

O último dia de evento contou ainda com intervenções de poesia de rua pela slammer Clara Costa, representante do Slam Akewí, e com o show do grupo VER$ART TRAP, que tem ganhado destaque na cena underground de Viçosa, encerrando a 8ª edição do Conexão Hip Hop.

“O Conexão Hip Hop é um evento voltado para as culturas de jovens das periferias, que se expressam através da dança, da música, da poesia e das artes gráficas, mostrando o seu altíssimo potencial artístico e cultural. É um dever e um grande prazer realizar este evento”, comenta Thomas Medeiros, Secretário de Cultura, Patrimônio Histórico e Esportes.

publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade