Presidente do Cruzeiro dá detalhes sobre a SAF em entrevista a Rádio Montanhesa
23 de junho de 2022

Ontem, durante a manhã, a Rádio Montanhesa recebeu Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro, para uma entrevista exclusiva. Durante a conversa no programa Bom Dia Cidade, o presidente abordou diversas questões relevantes ao time, torcida e a gestão esportiva.

O presidente iniciou sua fala afirmando que estar em Viçosa é um grande prazer e divulgando as palestras que foram ministradas por ele nas universidades do município. Sérgio Santos também explicou sobre a Sociedade Anônima de Futebol, um novo modelo de societário implantado pelo Cruzeiro em dezembro de 2021: “A SAF traz junto uma necessidade de governança muito maior de boas práticas de gestão do que o modelo de associação, que a gente viu que infelizmente levou a falência praticamente todos os clubes”, explicou o presidente.

Sérgio Santos também relatou que, para o departamento de futebol do Cruzeiro, foi criada uma empresa de administração, em que o ex-atacante Ronaldo possui 90% das ações: “Para o futebol, como ele possui 90%, a gestão é 100% dele. Eu represento os interesses da associação.” explicou Sérgio Santos. Quanto as dívidas do clube, o presidente afirmou que Ronaldo deve destinar 20% da receita da Sociedade Anônima de Futebol ao pagamento destas pendências.

Referente aos patrocínios, o presidente disse que já há uma maior procura após a compra das ações do Ronaldo. Assim como o aumento de patrocinadores, Sérgio Santos afirmou que é aguardado um crescimento também de redes sociais, número de sócio-torcedores e presença de público nos jogos: “É um ciclo virtuoso. Você ganha em campo, ganha mais dinheiro, os jogadores ficam mais empolgados e a torcida abraça. É criada uma roda que todo mundo está acostumado a ver o Cruzeiro viver.” afirmou o presidente do clube durante a entrevista.

O presidente ainda abordou a questão da rivalidade com o Atlético Mineiro: “Eu brincava muito sobre isso, falando que o Cruzeiro tem muito mais títulos. Eles queriam tentar nos menosprezar, jogar para baixo por estar na série B, mas dois, três anos ruins não vão apagar nossa história, e a nossa história para o Atlético chegar nela vai levar muito tempo”, afirmou o presidente de forma bem-humorada.

Confira a entrevista completa para a Rádio Montanhesa:

publicidade

publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade