Mudanças no tratamento oncológico de Muriaé para Ponte Nova é discutida na Câmara
4 de agosto de 2022

Os vereadores falaram sobre a transgênica do tratamento oncológico durante a reunião ordinária da Câmara na última terça-feira.

Na reunião Ordinária da terça-feira (02), foi discutida a possível mudança nos serviços oncológicos prestados atualmente em Muriaé para o município de Ponte Nova, podendo prejudicar a parte da população que utiliza os serviços de quimioterapia, tomografia, cirurgias, medicamentos e demais procedimentos do tratamento. O Vereador Edenilson Oliveira (PSD), Presidente da Casa Legislativa, resgatou a reunião que aconteceu, na segunda-feira (01), entre os vereadores e o Secretário Municipal de Saúde, Rainério Fontes, quando o gestor deu ciência aos parlamentares sobre as últimas movimentações envolvendo a situação. Na ocasião, Rainério apresentou dados técnicos e sinalizou que a microrregião de Viçosa (que abrange as nove cidades) é contrária à medida.

“Nós estamos falando aqui de qualidade de vida para pessoas em tratamento oncológico. Porque quem já fez tratamento ou teve que levar um paciente ou alguém da família com essa enfermidade sabe as diferenças entre os hospitais de Ponte Nova e Muriaé. Viçosa não pode aceitar isso. A Prefeitura não vai aguentar”, afirmou Edenilson, durante a Palavra Livre, fazendo referência aos possíveis impactos dessa ação, já que, hoje, Viçosa cobre apenas os gastos com a locomoção. Com a alteração, o Município teria que levar os pacientes também para outros lugares, como Ipatinga, demandando mais recursos e prejudicando os moradores.

Durante a sessão, o Vereador Edenilson apresentou, e teve aprovada, a Indicação nº 437/2022, que pede esclarecimentos sobre as tramitações da mudança de pactuação do serviço em oncologia do Hospital do Câncer da Fundação Cristiano Varella, em Muriaé, para a cidade de Ponte Nova e solicitou, em específico, um breve relatório com o comparativo de atendimentos de pacientes de Viçosa nos dois hospitais e o quantitativo de especialidade que cada unidade possui.

Ainda no mesmo tema, a Vereadora Marly Coelho (PSC) relatou sua própria experiência acompanhando o marido em fase terminal, e destacou que o Hospital de Muriaé é referência na região. “Hoje eu quero falar de vidas, porque o atendimento que ele teve lá foi de excelência, não só pelos médicos, mas por todos os profissionais que ali estavam para atender todos os pacientes. Ali ele foi tratado com dignidade e com todo respeito. Aliás, não só meu marido, pois eu que estava lá acompanhando também recebi todo amparo psicológico que precisava para passar por aquele momento tão difícil”, afirmou a parlamentar.

Por fim, o Vereador Sérgio Marota (PL), Presidente da Comissão de Saúde e Assistência Social da Câmara e Vice-Presidente do Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas de Viçosa, leu uma Nota de Repúdio enviada na terça-feira (02) e assinada pelo Conselho Municipal de Saúde, pelo Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas e pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescentes. Na carta, as entidades viçosenses manifestam profunda indignação com a mudança – segundo eles, uma decisão tomada “de cima para baixo” – e afirmam que a transferência não trará benefícios aos pacientes oncológicos de Viçosa. A íntegra da Nota pode ser lida abaixo. O parlamentar afirmou ainda que sairia uma comitiva de vereadores em direção à Ponte Nova, a fim de buscar entender as motivações para fazer a transferência de tratamento.

Nota de repúdio dos Conselhos Municipais de Direitos de Viçosa

Informações Câmara de Vereadores de Viçosa

Veja AQUI outras notícias da Câmara de Vereadores de Viçosa

publicidade

publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade