Universidades federais têm melhores cursos avaliados; veja lista
3 de abril de 2024

Entre as instituições públicas federais, 94 das 111 avaliadas obtiveram IGC 4 ou 5, e nenhuma delas ficou nas faixas 1 e 2 do indicador.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou os resultados do Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) nesta terça-feira (2), que abrangeu 1.998 instituições de educação superior, tanto públicas quanto privadas. De acordo com o levantamento, 27,7% das instituições (554) alcançaram o melhor desempenho, situando-se nas faixas 4 e 5 do indicador. Por outro lado, 60,3% obtiveram nota 3; 11,7% (234) ficaram na faixa 2 e 0,3% (6) na faixa 1, com o conceito mais baixo.

>> Veja aqui os resultados divulgados pelo Inep

Entre as instituições públicas federais, 94 das 111 avaliadas obtiveram IGC 4 ou 5, e nenhuma delas ficou nas faixas 1 e 2 do indicador. O número de instituições comunitárias nas faixas 4 e 5 aumentou de 31 para 39 entre 2018 e 2022. Por sua vez, as instituições privadas com fins lucrativos, representando 53% (1.503) das avaliadas, viram um aumento de 183 para 215 instituições com IGC igual a 4 ou 5 no mesmo período. O IGC é calculado a partir da média das notas do Conceito Preliminar de Curso (CPC), referente aos cursos de graduação, e dos conceitos Capes dos cursos e programas de pós-graduação stricto sensu, ponderados pelo número de matrículas de cada curso.

No que diz respeito aos cursos de mestrado e doutorado, nenhuma instituição que os oferece ficou na faixa 1 do indicador. As instituições com mais programas dessa natureza concentraram-se nas faixas superiores (4 e 5), indicando uma maturidade institucional relevante, segundo o diretor de Avaliação da Educação Superior do Inep, Ulysses Teixeira.

Além do IGC, o Inep também divulgou os resultados de outros dois indicadores de qualidade da educação superior relativos a 2022. O Conceito Preliminar de Curso (CPC), que avalia o desempenho dos estudantes, o valor agregado pelo curso, o corpo docente e as condições oferecidas para o desenvolvimento do processo formativo, mostrou que 35,9% dos cursos de graduação tiveram desempenho entre as faixas 4 e 5, enquanto 54,4% obtiveram notas médias (3).

Por fim, o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD) avalia o valor agregado pelo curso ao considerar os resultados dos estudantes no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O resultado apontou que as instituições públicas federais e estaduais, bem como as comunitárias, têm mais de 30% dos cursos nas faixas superiores do IDD (4 e 5), com base em uma amostra de 7.569 cursos.

Informações Agência Brasil

publicidade

publicidade

publicidade