Policiais penais são presos suspeitos de corrupção no sistema prisional mineiro
11 de junho de 2024

Uma operação desarticulou na manhã desta terça-feira (11) um grupo criminoso responsável por corrupção e tráfico de drogas nas unidades prisionais de Minas Gerais. A ação, chamada de 'Tabernus', foi realizada pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado de Juiz de Fora (Gaeco).

Foram cumpridos 27 mandados de prisão, 39 mandados de busca e apreensão, mandados de sequestro de veículos e mandados de indisponibilidade financeira de R$ 13.362.960,80 em Juiz de Fora, Cataguases, Goianá, Rio de Janeiro, São Gonçalo, Angra dos Reis, Mangaratiba e Três Rios.

De acordo com o promotor de Justiça, Thiago Fernandes de Carvalho, entre os presos estão 10 policiais penais, 3 técnicos da Sejusp, 1 sargento do Exército e outras pessoas. O nome deles não foram informados.

Agentes públicos suspeitos

Ainda conforme o MPMG, agentes públicos permitiam a entrada de drogas, equipamentos de comunicação e objetos ilícitos para dentro de unidades prisionais, onde eram comercializados de maneira ilícita por valores muito superiores aos negociados. Além disso, também era realizado lavagem de dinheiro.

As apurações do crime aconteciam há mais de um ano, após receberem informações da própria Polícia Penal e da Sejusp, depois de levantamentos internos das unidades.

Os agentes vão sofrer um processo administrativo disciplinar e responder até o momento por tráfico de drogas, corrupção ativa, corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Informações: G1 Zona da Mata

publicidade

publicidade

publicidade