Secretário de Saúde esclarece Plano de Contingência e intervenção nos hospitais de Viçosa
11 de junho de 2024

Durante a Tribuna Livre da última reunião ordinária da Câmara, na segunda dia (10), o Secretário de Saúde de Viçosa, Rainério Fontes, esclareceu dúvidas pendentes quanto ao plano de contigência e a intervenção estadual nos hospitais.

Rainério levou importantes atualizações quanto ao andamento da intervenção do estado. Neste momento, levou as informações que coletou com o Promotor de Justiça Dr. Luís Claúdio Fonseca em reunião, de que o Hospital São João Batista já assinou o documento necessário, o Hospital São Sebastião assinaria até quarta-feira (12) e, a partir destas assinaturas, a intervenção ocorrerá o mais rápido possível.

O Centro de Autocomposição de Conflitos e Segurança Jurídica do MPMG (COMPOR) ficará então responsável por nomear um interventor para os dois hospitais, uma vez que a unificação da gestão de ambos também foi confirmada.

Além disso, a questão polêmica quanto ao Plano de Contigência e a comunicação com o Hospital Nossa Senhora das Dores em Ponte Nova também foi esclarecida. Em contexto, em um vídeo do vereador Daniel Cabral, o parlamentar afirmou que o Plano de Contigência realizado pela secretaria não foi devidamente protocolado e discutido com a maternidade de Ponte Nova, o que teria causado o caso das grávidas de Viçosa que não puderam ser atendidas na cidade vizinha.

Confira aqui nossa matéria sobre este caso:

O secretário afirmou que a cidade de Ponte Nova estava sim informada, uma vez que a Secretária de Saúde da cidade, Kátia Jardim de Carvalho, esteve presente na reunião da sexta-feira com o Comitê Regional de Urgência e Emergência, quando o Plano de Contingência foi discutido, construído e, logo após encaminhado a casa legislativa.

Segundo o secretário, é dever da secretária de Ponte Nova repassar o Plano de Contingência aos hospitais da cidade. Ainda em seu relato, ele explicou que neste diálogo pode haver ruído uma vez que hospitais pontenovenses "querem receber para prestar esse atendimento" extra e, em resposta, Viçosa apresenta o plano de duração de 7 dias para então solucionar as "questões do território" e retornar os atendimentos.

Por fim, Rainério Fontes clamou por cooperação de todos e responsabilidade quanto as informações circuladas sobre o caso.

Em resposta as afirmações, Daniel reitera suas críticas a forma como o Plano foi protocolado e mostrou o documento da denúncia formal, quanto a situação da grávida já citada, que ele encaminhará ao prefeito para que este realize uma intervenção municipal imediata.

publicidade

publicidade

publicidade