CidadeSaúde & Bem Estar

SAÚDE CONTINUA MEDIDAS CONTRA DENGUE EM VIÇOSA

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Viçosa, por intermédio do setor de Vigilância Ambiental, continua focada, de forma permanente, na mobilização de combate ao Aedes Aegypti mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Uma dessas medidas é em atenção à Portaria Nº 1.007, de 4 de Maio de 2010, do Ministério da Saúde, que define critérios para regulamentar a incorporação do Agente de Combate às Endemias na atenção primária à saúde para fortalecer as ações de vigilância em saúde junto às equipes de Saúde da Família.

Em Viçosa, esses agentes de endemias que atuam nas Unidades Básicas de Saúde realizam visitas nas casas, em campanha de alerta. A qualquer suspeita, uma equipe é deslocada para o local e, constatada a suspeita, é realizada a UBV (Ultra baixo violeta), bomba costal com inseticida para controle do mosquito.  Em área descoberta pela atenção básica da saúde, além do trabalho dos agentes, há plantão permanente no Setor de Vigilância Ambiental de Viçosa.

O coordenador do Setor de Vigilância Epidemiológica, Ronilson Vieira, disse que os cuidados para evitar a proliferação do mosquito devem ser permanentes: “com a chegada das chuvas e o aumento das temperaturas, as medidas de prevenção devem ser ainda mais efetivas. Nesta época, mais do que nunca, o ideal é eliminar recipientes que podem servir para acúmulo de água e, consequentemente, para a proliferação do mosquito”, ressaltou.

Ronilson lembra que, com o início das aulas nas instituições de ensino universitário da cidade, é comum que aumente o acúmulo de lixo nos domicílios, inclusive materiais favoráveis à proliferação do aedes aegypti, como garrafas pets, copos recicláveis, entre outros. Por isso, solicita à comunidade universitária que fique atenta a esse tipo de detrito: “a atenção ao combate ao vetor é uma responsabilidade de todos”, finaliza.

Outra informação de Ronilson é de que, em 2019, até nesta segunda-feira, 18, foram notificados 13 casos, com quatro confirmações, dois descartes e 7 em investigação. Desses sete, um foi descartado como dengue e está em investigação para ver se trata de Chikungunya.

Dos confirmados, um é suspeito de dengue hemorrágica, que ainda aguarda resultados laboratoriais em Belo Horizonte.

Sobre as notificações, Ronilson lembra que elas são informadas pelos hospitais da cidade. Como muitas pessoas procuram atendimento particular, muitas vezes os casos não chegam ao conhecimento da Secretaria de Saúde, por falta de informação. Por isso, solicita dos  profissionais de clínicas e consultórios que também façam o comunicado dessas ocorrências pelo telefone 3899 – 5123.

Sintomas de dengue

Os sintomas de dengue iniciam de uma hora para outra e duram entre cinco a sete dias. Normalmente eles surgem entre três a 15 dias após a picada pelo mosquito infectado. Os principais sinais são: febre alta com início súbito (entre 39º a 40º C), forte dor de cabeça, dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos, manchas e erupções na pele, pelo corpo todo, normalmente com coceiras, extremo cansaço, moleza e dor no corpo, muitas dores nos ossos e articulações, náuseas e vômitos, tontura, perda de apetite e paladar.

Os sintomas de dengue hemorrágica são os mesmos da dengue clássica. A diferença é que a febre diminui ou cessa após o terceiro ou quarto dia da doença e surgem hemorragias em função do sangramento de pequenos vasos na pele e nos órgãos internos. Os sinais de alerta começam a surgir quando acaba a febre.

Prevenção

Entre as ações de prevenção e controle do Aedes está o cuidado com o armazenamento de lixo, que deve ser mantido em recipiente fechado, além de acondicionar adequadamente os materiais para reciclagem que podem acumular água. Manter a caixa d’água sempre limpa e totalmente tampada e as calhas livres de entupimentos são outras atividades fundamentais para a prevenção de novos focos. Os pratinhos de plantas precisam ser eliminados, além do cuidado especial com bebedouros de animais. Também é recomendável retirar o fundo de latas, caixas de leite e similares antes do descarte.

Denúncias de residências, quintais e lotes abandonados que apresentam riscos à saúde coletiva podem ser feitas pela Ouvidoria Municipal (3891-6009) ou diretamente na Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde (3892-6430).

Curso

Promovido pela Gerência Regional de Saúde de Ponte Nova e dirigido a profissionais da Epidemiologia/Vigiagua e Vigilância Sanitária, o curso Teórico-prático em Inspeção de Sistemas de Abastecimento de Água será realizado na quarta e quinta-feira próxima, 20 e 21, das 09h às 16h30min, no Auditório do Centro Administrativo “Prefeito Antônio Chequer” (auditório da Prefeitura), no antigo Colégio de Viçosa.

Na sexta-feira, 22, no mesmo horário, haverá aula prática, no SAAE.

Fonte: Prefeitura de Viçosa.

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido! © Copyright Primeiro a Saber.
Fechar