CidadaniaCidade

SAAE conclui processo administrativo sobre acidente com veículo de coleta

Diante do acidente sem vítimas ocorrido com um caminhão de coleta de resíduos sólidos terceirizado do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE/Viçosa), na Rua Rui Barbosa, Bairro de Fátima, no dia 7 de junho, a autarquia determinou a abertura do procedimento administrativo SAAE-VIC 037/2019, em 10 de junho para apurar as circunstâncias do ocorrido, responsabilização e danos.

O veículo tinha sido vistoriado pelo Setor de Transporte e Logística da Autarquia no dia 6 de junho, ou seja, um dia antes do acidente, estando perfeitamente apto para circulação ou de prestar os serviços de coleta de resíduos sólidos.

Na apuração do acidente foi realizado o Laudo de Vistoria nº 001/2019/DIESA, avaliando que dois imóveis na Rua Rui Barbosa sofreram pequenas avarias em suas fachadas, sendo reconstituído os pontos pela empresa terceirizada. Proprietários de dois automóveis envolvidos no acidente, tiveram seus veículos reparados e entregues no mês de julho de 2019. O processo também confirmou que a atitude do motorista que realizou uma manobra defensiva e resultou no tombamento do veículo na via, evitando um acidente pior.

Segundo o SAAE os resultados do procedimento serviram para atualização dos protocolos de coleta de resíduos em trechos de aclive, além de orientar motoristas para que casos semelhantes não ocorram. Uma das iniciativas da Autarquia foi pedir a Diretoria de Trânsito (Diretran) a colocação de placas proibindo o estacionamento vias íngremes, inclusive na rua onde o acidente ocorreu.

Segundo o SAAE, desde o dia 20 de agosto deste ano, novos caminhões e caminhonetes terceirizados estão circulando em Viçosa, oferecendo mais segurança e qualidade dos serviços através da implantação de medidas de segurança como: limitação do tempo de uso do caminhão, vistorias periódicas, treinamento de pessoal, obrigatoriedade de equipamentos como giroflex e lâmpadas noturnas.

O Presidente do SAAE, Luciano Piovesan que acompanhou todos os procedimentos desde o dia do acidente até o fechamento do processo e ressaltou que tudo ocorreu de forma rápida, visando atender os consumidores. “Após a apuração dos fatos, buscando celeridade na solução dos danos causados a terceiros, a empresa terceirizada arcou com todas as despesas uma vez que possui seguro, sendo esta uma exigência do SAAE nos contratos terceirizados. Assim o processo de ressarcimento foi muito mais rápido”, afirmou Piovesan.

Texto e foto: Alex Andel

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido! © Copyright Primeiro a Saber.
Fechar
Fechar