fbpx
Concursos & Empregos

Viçosa registra 327 demissões em maio

As maiores cidades da Zona da Mata e Campo das Vertentes tiveram saldo negativo para criação de emprego em maio de 2020. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (29), pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

Em maio, o G1 mostrou que o Governo Federal havia divulgado pela primeira vez os dados do ano dos municípios das regiões. Nesta nova atualização, os números apresentados na ocasião, de janeiro a abril, foram reajustados pelo Caged. Veja abaixo os números atualizados de 2020.

Saldo em maio

Todas as principais cidades da Zona da Mata e Vertentes, registraram saldo negativo em maio. A que teve o pior desempenho no mês foi Juiz de Fora, com menos 1.627 postos de trabalho com carteira assinada.

Já Visconde do Rio Branco, apesar contabilizar saldo negativo de sete, foi o município que teve melhor desempenho em comparação com as demais cidades das duas regiões. Veja abaixo os saldos de maio nas cidades das regiões abaixo.

Saldo de maio nas cidades das regiões

CidadesAdmissõesDesligamentosSaldo em maio
Barbacena291583-292
Viçosa143327-184
Visconde do Rio Branco205211-6
São João del Rei192390-198
Muriaé193676-483
Cataguases83408-325
Ubá242393-151
Leopoldina102420-318
Juiz de Fora1.7033.330-1.627

Veja abaixo o número total de admissões e desligamentos no ano nas principais cidades das regiões:

Saldo do ano nas cidades das regiões

CidadesAdmissõesDesligamentosSaldo do ano
Barbacena2.5083.329-821
Viçosa1.6432.203-560
Visconde do Rio Branco1.3821.930-548
São João del Rei1.9132.818-905
Muriaé2.2242.823-599
Cataguases1.3791.677-298
Ubá3.8215.138-1.317
Leopoldina7431.462-719
Juiz de Fora17.25723.279-6.022

Gráfico 1

Neste gráfico, são contabilizadas a somatória das contratações e demissões ao longo dos cinco primeiros meses de 2020. Ou seja, os números abaixo demonstram se, de um mês para o outro, houve saldo positivo ou negativo na geração de empregos, resultando no acumulado do ano.

Brasil

De acordo com o Caged, a economia brasileira fechou 331.901 vagas de trabalho com carteira assinada em maio.

Entre março e maio, durante a pandemia do coronavírus, foram fechadas 1,487 milhão de vagas formais.

Setores

Em maio, a agricultura foi o único setor com geração de postos de trabalho: foram 15.993. O setor de serviços foi o que mais fechou postos de trabalho.

  • Serviços: -143.479
  • Indústria geral: -96.912
  • Comércio: -88.739
  • Construção: -18.858

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, comentou que os números de maio mostram uma reação do mercado de trabalho e que podem ser comemorados.

“É bom que se repita que qualquer emprego perdido não pode ser tido como algo positivo. Trabalhamos diariamente para que não tenha nenhum emprego a menos. No entanto, temos que deixar claro esse fator que nos parece auspicioso, que nos dá esperança, que é a reação clara do mercado de trabalho nesse mês de maio em comparação com o mês de abril”, afirmou.

Fonte: G1.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo